Tag Archive | vida

Dois anos!

Há exatamente dois anos atrás nos mudamos para a Bélgica!

Sei que soa como um clichê, mas é difícil acreditar como estes anos passaram rápido… Conhecemos tantas pessoas especiais, visitamos tantos lugares incríveis, experimentamos comidas e bebidas que nem sabíamos que existiam (especialmente na China :P), aprendemos coisas que nunca aprenderíamos no Brasil e, principalmente, passamos a olhar o mundo com outros olhos.

É claro que este caminho também teve seus tropeços: ficar longe da família e amigos, não acompanhar o crescimento do nosso afilhado e sobrinhas, estar longe em momentos difíceis para familiares e amigos, exatamente quando mais gostaríamos de estar perto, re-aprender coisas básicas que não são tão óbvias assim quando se está vivendo em outro país…

Mas não precisamos de uma balança para saber que esta foi uma das melhores decisões das nossas vidas! Sem dúvida faríamos tudo de novo (um pouco mais espertos desta vez ;))!

Também é fantástico saber que esta não é uma história que chegou ao fim: no final deste mês estamos indo para Leuven novamente, em um evento para ex-alunos da Vlerick. Mal podemos esperar para rever alguns grandes amigos – e quanto aos que não poderão ir, é bem provável que nos vejamos novamente em algum outro lugar do mundo. Outras novidades estão a caminho – acompanhem o Cacau com Lúpulo para saber mais 🙂

E só para matar a saudade, algumas das primeiras fotos que tiramos em Leuven, há dois anos atrás!

Porque a vida… É assim !!!!

Porque a vida é assim, né?! Nós pegamos um pouquinho daqui, outro pouquinho dali, colocamos tudo junto e fica a coisa mais linda de se viver. Não é assim com a família? Com os amigos? No trabalho? Na escola? Congregamos tudo de bom que conhecemos e conquistamos e aí temperamos a vida. E não é bão?!

Essa divagação apareceu quando preparava meu almoço solitário de hoje. Alface americana, um teco de cenoura crua, a sobrinha de um vinagrete da bruschetta de ontem à noite, lascas de queijo grana padano, uma colherzinha de mel, outras duas de shoyu, mais uma boa regada de azeite de oliva extra virgem com uns croutons feitos de uma fatia de pão integral cortado em cubos e fritos no azeite extra virgem e pimenta preta na frigideira.

Me fala se tem coisa melhor do que juntar tudo, misturar e se lambuzar???? 😀

E a família? Cresce!

Hoje recebemos a linda notícia do nascimento de mais uma sobrinha.

Chegou ao mundo no último dia 24 a pequena Ayumi, filhinha do Alex e da Kenia. E os avós babões nos deram a notícia cheios de entusiasmo e amor… E daria para ser diferente? 😀

Mesmo através da distância enviamos as mais amorosas vibrações para a pequena Ayumi. Saúde, alegria, harmonia e muito desenvolvimento é o que os titios de longe desejam.

♥ Pequena, nós já te amamos! ♥

La vie est fabuleuse

Logo no primeiro passeio despretensioso pelas ruas de Paris uma simples, linda e reconfortante agradável surpresa.

Paramos em uma dessas lojinhas de brinquedos e bem na porta estavam expostas essas lindas caixinhas de música. Enquanto eu me perdia na variedade de brinquedos dentro da loja, o Dú me chama e me mostra uma caixinha em especial. A caixinha com a valsa que dançamos no nosso casamento, La Valse D’Amelie, de Yann Tiersen.

Bateu uma emoção tão, mas tão gostosa que na hora me vieram à mente as lembranças do nosso casamento. Que momento mágico!

A vida é perfeita! E sempre que precisamos, de forma muito sutil, nos apresenta os melhores motivos para vivê-la intensamente.

Só louco não dança com seu amor onde e quando sente vontade! 😀

Photos by Gabi Butcher. Obrigada Gabi por esses registros tão especiais e únicos!

A vida é bela!

Hoje encontrei por acaso a Shereen quando estava saindo da aula de inglês e indo para o supermercado. Conversamos um pouco e ela me convidou para um chá em seu apartamento.

Como de costume tivemos uma conversa super agradável, rica, reconfortante e muito, muito inspiradora.

Como se não bastasse, conversei virtualmente com dois amigos da turma da psicologia, os quais são mais que especiais! O Everton e a Carol. Meu Deus! Fazia tanto tempo que não tinha notícias deles e de repente, converso com os dois.

Meu coração se encheu de alegria ao saber das novidades de ambos. Pessoas muito queridas e que me inspiram pessoal, profissional e moralmente.

A vida é realmente muito bela! Nossos verdadeiros amigos nos enchem de alegria pelo simples fato de estarem bem, felizes e realizados.

Amo Vocês!!!!


Florescendo….

Esta semana tivemos uma tarde muito especial! Paz, Shereen e eu nos reunimos para uma sessão de auto-conhecimento e muita reflexão.

Como sou certificada no MBTI, o utilizamos como base para nossa “sessão”. Acompanhadas por pipoca, chá e muita cumplicidade estudamos o MBTI e aprendemos um pouco mais sobre nós mesmas. Nos questionamos sobre um monte de coisas. Entendemos outro monte de coisas. E ainda saímos com boas e profundas lições de casa… Reflexões!

Como é bom poder compartilhar e crescer com pessoas queridas! E tudo se torna ainda mais rico em virtude das nossas diferenças culturais. Somos uma argentina, uma jordaniana e uma brasileira. Através das nossas diferenças (cultura) aprendemos muito. E pelas nossas semelhanças (situação) nos aproximamos e nos respeitamos!

Para encerrar nossa tarde, depois da Shereen já ter ido, fiquei com a Camila (filhinha de 2 meses da Paz) para ela poder ir ao supermercado… Mais uma habilidade descoberta: a de babá! hehehe

E ainda ganhei um carneirinho de chocolate… Ai-ai-ai, assim fico mal acostumada. 😀

Filosófico demais? Parte II

Coincidência ou não, depois de escrever o post “Filosófico demais?” recebi, de uma amiga muito querida, o seguinte texto. Eu já havia lido há bastante tempo e me lembrava bem dele… achei-o interessantíssimo… e acredito que ele traduz de forma mais “racional” ou organizada os meus sentimentos:

O cérebro humano

Por Airton Luiz Mendonça

(Artigo do jornal o Estado de São Paulo )

O cérebro humano mede o tempo por meio da observação dos movimentos. 

Se alguém colocar você dentro de uma sala branca vazia, sem nenhuma mobília, sem portas ou janelas, sem relógio… você começará a perder a noção do tempo.

Por alguns dias, sua mente detectará a passagem do tempo sentindo as reações internas do seu corpo, incluindo os batimentos cardíacos, ciclos de sono, fome, sede e pressão sanguínea.

Isso acontece porque nossa noção de passagem do tempo deriva do movimento dos objetos, pessoas, sinais naturais e da repetição de eventos cíclicos, como o nascer e o pôr do sol.. 

Compreendido este ponto, há outra coisa que você tem que considerar: nosso cérebro é extremamente otimizado .

Ele evita fazer duas vezes o mesmo trabalho.

Um adulto médio tem entre 40 e 60 mil pensamentos por dia.

Qualquer um de nós ficaria louco se o cérebro tivesse que processar conscientemente tal quantidade.

Por isso, a maior parte destes pensamentos é automatizada e não aparece no índice de eventos do dia e, portanto, quando você vive uma experiência pela primeira vez, ele dedica muitos recursos para compreender o que está acontecendo. 

É quando você se sente mais vivo. 

Conforme a mesma experiência vai se repetindo, ele vai simplesmente colocando suas reações no modo automático e ‘apagando’ as experiências duplicadas. 

Se você entendeu estes dois pontos, já vai compreender porque parece que o tempo acelera, quando ficamos mais velhos e porque os Natais chegam cada vez mais rapidamente. 

Quando começamos a dirigir automóveis, tudo parece muito complicado, nossa atenção parece ser requisitada ao máximo.

Então, um dia dirigimos trocando de marcha, olhando os semáforos, lendo os sinais ou até falando ao celular ao mesmo tempo.

Como acontece?

Simples: o cérebro já sabe o que está escrito nas placas (você não lê com os olhos, mas com a imagem anterior, na mente); O cérebro já sabe qual marcha trocar (ele simplesmente pega suas experiências passadas e usa , no lugar de repetir realmente a experiência).

Em outras palavras, você não vivenciou aquela experiência, pelo menos para a mente. Aqueles críticos segundos de troca de marcha, leitura de placa…

São apagados de sua noção  de passagem do tempo…

Quando você começa a repetir algo exatamente igual, a mente apaga a experiência repetida.

Conforme envelhecemos, as coisas começam a se repetir -as mesmas ruas, pessoas, problemas, desafios, programas de televisão, reclamações… enfim… as experiências novas (aquelas que fazem a mente parar e pensar de verdade, fazendo com que seu dia pareça ter sido longo e cheio de novidades), vão diminuindo.

Até que tanta coisa se repete que fica difícil dizer o que tivemos de novidade na semana, no ano ou, para algumas pessoas, na década.

Em outras palavras, o que faz o tempo parecer que acelera é a… ROTINA!

Não me entenda mal.

A rotina é essencial para a vida e otimiza muita coisa, mas a maioria das pessoas ama tanto a rotina que, ao longo da vida, seu diário acaba sendo um livro de um só capítulo, repetido todos os anos.

Felizmente há um antídoto para a aceleração do tempo: M & M (Mude e Marque).

Mude, fazendo algo diferente e marque, fazendo um ritual, uma festa ou  registros com fotos.

Mude de paisagem, tire férias com a família (sugiro que você tire férias sempre e, preferencialmente, para um lugar quente, um ano, e frio no seguinte) e marque com fotos, cartões postais e cartas.

Tenha filhos (eles destroem a rotina) e sempre faça festas de aniversário para eles, e para você (marcando o evento e diferenciando o dia).. 

 Use e abuse dos rituais para tornar momentos especiais diferentes de momentos usuais.  

Faça festas de noivado, casamento, 15 anos, bodas disso ou daquilo, bota-foras, participe do aniversário de formatura de sua turma, visite parentes distantes, entre na universidade com 60 anos, troque a cor do cabelo, deixe a barba, tire a barba, compre enfeites diferentes no Natal, vá a shows, cozinhe uma receita nova, tirada de um livro novo.

Escolha roupas diferentes, não pinte a casa da mesma cor, faça diferente.

Beije diferente sua paixão e viva com ela momentos diferentes.

Vá a mercados diferentes, leia livros diferentes, busque experiências diferentes. 

Seja diferente.

Se você tiver dinheiro, especialmente se já estiver aposentado, vá com seu marido, esposa ou amigos para outras cidades ou países, veja outras culturas, visite museus estranhos, deguste pratos esquisitos. Em outras palavras: V-I-V-A. !!!

Porque se você viver intensamente as diferenças, o tempo vai parecer mais longo. 

E se tiver a sorte de estar casado(a) com alguém disposto(a) a viver e buscar coisas diferentes, seu livro será muito mais longo, muito mais interessante e muito mais v-i-v-o do que a maioria dos livros da vida que existem por aí. 

Cerque-se de amigos.

Amigos com gostos diferentes, vindos de lugares diferentes, com religiões diferentes e que gostam de comidas diferentes.. 

Enfim, acho que você já entendeu o recado, não é?

Boa sorte em suas experiências para expandir seu tempo, com qualidade, emoção, rituais e vida..

E S CR E VA em

tAmaNhos  diFeRenTes e  em  CorES 

di f E rEn tEs !

CRIE, RECORTE, PINTE, RASGUE, MOLHE, DOBRE, PICOTE, INVENTE, REINVENTE…..

V I VA

Uma excelente VIDA à você!!!

Filosófico demais?

10 dias que não escrevo um novo post! Putz! Já levei bronca do Eduardo, da minha mãe e de mais dois queridos amigos… sorry guys!

Na verdade tenho uma grande novidade para contar para vocês: a rotina existe em toda a parte do mundo! heheheh

Pois é, estamos na Bélgica desde 18 de agosto. De lá para cá muita coisa aconteceu e muito mais ainda está por vir, mas é muito, muito interessante perceber como precisamos (ou pelo menos eu preciso) de uma rotina. E depois que ela se instala (ou começa a se instalar) passamos a olhar para os acontecimentos com olhos menos atentos às peculiaridades…. passamos a perceber as “coisas” como sendo menos atrativas.

Depois das broncas que recebi e da reflexão que fiz, essa foi a minha conclusão: a culpa pela monotonia na vida, ou melhor, pela sensação de monotonia é 100% nossa! Desculpem, mas é isso o que eu acho! Hehehe

Pois é pessoal, espero não ter desapontado ninguém, mas aqui na Bélgica tb há rotina. Tenho que ir ao supermercado, lavar roupa, comer chocolate, pagar o aluguel, fazer comida, ir para a escola, comer chocolate, etc, etc e comer chocolate… heheheh

Novo_olharFalando sério, depois dessa reflexão me fiz um convite, o qual estendendo à vocês: que tal olharmos com mais cuidado para a pessoa que está bem pertinho da gente (nosso companheiro de vida, nosso filho, nossos pais, nossos irmãos), aqueles que não estão tão perto assim (do nosso lado no nosso trabalho, no supermercado, no trânsito de São Paulo) ou para a cidade à nossa volta (um parque, uma loja, um árvore que cresceu ou melhor floresceu…) muita coisa diferente e interessante pode estar pertinho de nós… talvez valha bem a pena olharmos para essas “coisas”! 😉

Sabe o olhar de uma mãe para o seu pequeno e amado filho? Não precisa ser como esse, porque esse olhar só as mães têm, mas muita coisa pode ser melhor se treinarmos e experimentarmos um olhar mais cuidadoso para a VIDA!

Filosófico demais? hum, sei lá!

Mas tem uma coisa que ainda não é uma rotina e acho que ainda vai demorar um pouco para ser… escolher que chocolate comprar, experimentar e se deliciar! Foi mal pessoal! Hehehe Mas os chocolates dessa terra são realmente muito bons! Humm!!!