Tag Archive | malas

A caminho de Amsterdam

Holanda tem um significado triplamente especial para mim:

1. Sempre ouvi muitas histórias contadas pelo meu sogro. Ele trabalhou em uma indústria holandesa e por muitos anos viajou por aquelas terras. Suas histórias são sempre muito ricas e cheias de emoção, o que dá um gosto ainda mais especial à sua narrativa.

2. Minha mãe, apesar de nunca ter visitado, tem uma fascinação incrível pela Holanda, as tulipas, os canais, o leite e etc. Cresci ouvindo que conhecer a Holanda era um sonho seu.

3. E Van Gogh. Sobre ele já contei um pouco no post Girassóis.

Pois bem. O Dú teve uma folguinha de alguns dias e planejamos nossa viagem para Amsterdam, Holanda. E o dia chegou… delícia!

Na sexta, 30 de outubro, acordamos preparamos nossa mala e fomos para a estação de trem arrastando nossa mala por 1,5 Km pelas ruas de Leuven… Pensaram que a saga das malas tinha terminado, não é? 😉

O trem saia às 11h48, chegamos uns 15 minutos antes e na fila para comprar os bilhetes só tinham três pessoas na nossa frente. Beleza! Beleza nada! O senhor que estava no caixa quando chegamos deve ter algum problema, ficou lá um tempão, empacado. Quando faltavam 4 minutos para o trem partir ele se resolveu. Os outros três foram rápidos e com 1 minuto corremos para a plataforma.

Podíamos ir por baixo, pelas escadas rolantes ou por cima, pelo elevador. Fomos por cima e quando chegamos à plataforma que deveríamos descer o elevador estava inoperante, pode?

Olhamos lá de cima o trem paradinho na estação, bateu o desespero. Descemos na plataforma seguinte, descemos pelas escalas, corremos pelo corredor e subimos na nossa plataforma, quando subimos o último degrau… o trem partiu! Vocês tinham que ver a cara do Dú, carregando a mala…. Mais uma para a saga das malas… hahah

Amsterdam 003Logo ele foi para o mural estudar os roteiros dos trens para não termos que ficar 1 hora ali morgando. Então 20 minutos depois pegamos o trem para Mechelen… Chegando lá, outra estudadinha nos roteiros dos trens, corremos para trocar de plataforma e pegamos o trem para Antuérpia. Chegamos em Antuérpia, ufa! Tínhamos uns 30 minutos até o nosso trem sair rumo à Amsterdam e aproveitamos para explorar a estação. Ela é LINDA!

Com toda essa mudança de trens ao invés de ficarmos parados esperando por uma hora, passando um super frio, ainda íamos ganhar uns trinta minutos no final das contas, mas…. logo que o trem de Antuérpia saiu, andamos uns 15 minutos e ficamos parados, por problemas técnicos, quase 1h30… Foi uma diversão ficar parados no trem ouvindo o Dú bufar. 😉

Pelo menos tínhamos nossos lanchinhos, água e ameixa para nos distrair… quando for viajar pela Europa, sempre tenha os seus lanchinhos, tudo no trem é muito caro e todo mundo faz isso!

Por volta das 18h30 finalmente chegamos à Amsterdam. Aí era só pegar o Tram (um bonde mega legal que circula toda a cidade) e nos esparramar no hotel. Na saída da estação já vimos os Trams e a muvuca de pessoas e bicicletas… começamos a sentir o clima da cidade. Em menos de 15 minutos chegamos ao hotel, ufa!

Amsterdam 027O hotel que ficamos foi o Nicolaas Witsen. Um hotel simples, mas simpático. Quarto e banheiro pequenos, mas limpinhos. Não tão perto do centro, mas o que também é uma vantagem, em função do barulho. Com um preço bem bom. O único problema era o colchão, meu Deus! Como eu sou pequena e, conseqüentemente, mais leve acabo não sofrendo tanto com colchões muito moles, mas o Dú…

Nos trocamos e fomos procurar um restaurante para jantar! Fomos para Leidseplein onde tem uma super concentração de restaurantes, bares e clubs. Já no caminho pudemos perceber a zona nas ruas, cada um por si. A escala de prioridade lá é Tram, carro, bicicleta e bem por último os pedestres. A maior muvuca. Você tem que ficar muito atento para não ser atropelado. Ninguém pára para pedestre, não! 😉

Como era época de Halloween, na frente dos clubs se via de tudo, tudo mesmo… Sentimos mais um pouco do clima da cidade.

Depois de percorrer quase todos os restaurantes escolhemos o Sherpa, um nepalês/tibetano e foi uma escolha bem acertada. Um restaurante pequeno e bem típico, decoração, música e garçons. Tudo muito gosto e não muito caro!

Voltamos para o hotel e fomos dormir, afinal tínhamos que estar bem dispostos na manhã seguinte para explorarmos Amsterdam, mas… no meio da noite acordo com o Dú se mexendo e caio na besteira de perguntar: “O que foi?”, e como já era de se esperar, ele meio dormindo resmunga: “Está tudo errado! Esse colchão é uma droga, o travesseiro é grande, eu estou com calor. Está tudo errado!”“Tá bom, Dú. Volta a dormir.” hahahaha

Anúncios

Malas e reformas… não sei o que é pior!!!

Eu nem sei por onde começar a contar nossa história de hoje… na verdade começou ontem às 22h30, quando o Vincent (o rapaz que estamos alugando o apto), nos ligou dizendo que a troca dos armários da cozinha, que estava programa para o sábado passado, não terminou. Quando começaram a mexer perceberam que tinham mais coisas a fazer e então a cozinha antiga foi retirada, mas a nova ainda não tinha sido colocada.

Bem, sabemos que reforma sempre é reforma. Inevitavelmente outras coisas acabam aparecendo no meio do caminho. Vimos com o pessoal do B&B que estávamos se havia disponibilidade para mais uma ou duas noites e… não havia mais, eles estavam para receber mais hóspedes e infelizmente não seria possível continuarmos lá.

Combinamos então com o Vincent que veríamos a condição do apto às 11h00, horário que havíamos combinado para a mudança e então decidiríamos o que fazer.

Arrumamos as malas ainda à noite… até que foi fácil fechá-las. Estávamos com medo que seria complicado. Mas não foi!

Pela manhã, tomamos nosso usual delicioso café da manhã e fomos descer as malas… por aquela escada estreita e íngreme! O Andres (o rapaz equatoriano que ajudou o Edu a subir as malas) não estava e o outro que estava por lá estava ocupado fazendo sei lá o que… então sobrou para mim dessa vez!

Começamos a traçar uma estratégia, como melhor pegar, se pela alça, se de lado, não melhor em pé! Sei lá como, descemos as quatro malas de quase 30 quilos cada… Ai! Não preciso dizer que minhas costas estão doendo a essas horas, não é?! 😉

Fomos pedir o telefone de algum táxi para levarmos as malas até o apto (ou vocês acharam que sairíamos arrastando esses monstros pelas ruas de Leuven?) para o outro rapaz e ele foi super legal, nos pediu mais uns minutinhos para terminar o que estava fazendo e disse que nos levaria em seu carro!

As malas couberam no carro, ufa, mas eu… os pequenos sempre se estrepam nessas horas… fiquei no banco de trás toda apertada, é claro. Ainda bem que é pertinho! Pegamos um congestionamento, nossa! Foi um horror! Em quatro minutos estávamos lá 😉 Imaginem se fosse em São Paulo?!

As cortinas do apto estavam abertas e pudemos ver, antes mesmo de entrar, a zona que estava lá dentro. Dois homens trabalhando, com serra de madeira, aqueles armários espalhados por todo o canto e aquela poeirinha de madeira serrada por todo o lado! E o Edu falou: “Não vai dar para ficarmos aqui!”. Deixamos apenas as malas, também não daria para carregá-las para outro lugar! Pegamos uma muda de roupa e as coisas de banheiro, colocamos mas mochilas dos notes e fomos… caminhar!

Por sorte conseguimos um outro B&B que nos indicaram, fomos para lá e a moça que nos atendeu é super simpática. O lugar já é mais simples, mas bom também! O engraçado foi ver a cara do Edu quando ela mostrou o toillete comum… no corredor. No quarto tem apenas o chuveiro e a pia! Ele fez uma cara minguada que só vendo! “Ah Dú, só por hoje vai?!”

No meio de toda essa confusão passamos na faculdade para ver alguns cursos… achei meio confuso, mas ainda tenho que pesquisar mais algumas coisas e amanhã pretendemos passar nas escolas de idiomas que têm por aqui… depois conto o desenrolar dessa história.

E eu achando que hoje contaria super empolgada a saga das malas… a reforma atrapalhou tudo! Mas no fim vai ficar bem legal! Sejamos paciente! 😉

Ah! Esqueci de contar: estava chovendo…

E a saga começa!

(o que aconteceu em 18.08.2009)…

Chegamos bem, o vôo foi longo e cansativo, mas tudo correu muito bem. O chato foi ficar 3 horas em Munich esperando para fazermos a conexão… depois mais 1h30 de vôo e… chegamos. O aeroporto é gigantesco, andamos muuuito até pegarmos as malas e aí começou a saga… putz elas estão muuito pesadas! Pegamos as malas e como dois patos descemos as escadas rolantes (eu quase fui atropelada por elas, mas tudo bem) e chegamos para comprar os tickets do trem… cronometricamente compramos os tickets às 11h08 e o trem saiu às 11h17, foi o máximo! 15 minutinhos de trem e chegamos à Leuven… Nem deu para descansar e a saga das malas recomeça: tira correndo as malas do trem, sobe de elevador, cruza as plataformas, desce de elevador e vamos até o táxi…. aí pronto, o taxista ajudou com as malas, que alívio!Untitled1

Chegamos ao hotel (como aquelas casas antigas com quartos arrumados para receber turistas) a coisa mais aconchegante, amei! Mas… a saga não teve fim 😉 Nos deparamos com dois lances de escadas para chegarmos ao nosso quarto… é, dois lances de escadas, mas o pior é que são escadas beeem estreitas. Foi horrível, o Edu e o Andres (o rapaz que cuida da casa, um equatoriano super gente boa) no final estavam pingando.

Bem, depois tomamos uma ducha, ligamos para minha mãe e os pais do Edu (7h30 da matina no Brasil) para dizer que estávamos bem. Aqui já era 12h30, então saímos para almoçar. A cidade é a coisa mais linda, super histórica e muito bem conservada. Simplesmente maravilhosa. Todos estão nas ruas, passeando, andando de bicicleta, tomando uma cervejinha, um sorvetinho, é coisa de filme mesmo, sabe? Está um calor inacreditável. Comemos uma coisinha, andamos um pouco mais, compramos um cartão de celular e aí… Baixou o cansaço, quase não consegui chegar no hotel… Nossa foi uma coisa de louco, quando chegamos tirei a roupa e me estirei na cama. Que delícia, dormi das 16h até umas 20h. Mas o mais mágico foi que ao acordar o Sol estava por aqui ainda. Quando saímos às 22h para jantar, o Sol já tinha ido, mas o céu ainda tinha uma faixa azul claro. Dá para acreditar?

É isso aí! Agora é mais de meia noite, acabamos de jantar e estamos caçando os pijamas, tentando não bagunçar a mala 😉

Amanhã vamos começar a procurar a nossa casa!

Sabe o que esquecemos de colocar na mala? Um sabonete! 😉 coisa de principiante!