Tag Archive | dicas

O dia em que TUDO deu errado

10 de julho entrou para a história como o dia em que tudo deu errado para a gente… Neste dia íamos viajar para a África do Sul, mas foi esta a sequência de acontecimentos:

  1. Já que viajámos de Schipol, decidimos ir de trem de Eindhoven para Schipol – uma viagem direta e mega-conveniente, já que você desembarca literalmente no saguão do aeroporto. Chegamos na estação e todos os trens diretos estavam cancelados – alguém resolveu cavocar os trilhos exatamente neste dia… Por muita sorte perguntei qual era a melhor alternativa (ir até Rotterdam e pegar o Fyra, um trem rápido), pois a solução “oficial” incluía fazer um zigue-zague, com duas trocas de trem em estações super pequenas (daquelas que você nunca vê nenhum trem parando) e pelo menos 1 hora a mais de viagem
  2. Felizmente saimos cedo de casa então não tivemos que correr. Fizemos o check-in na boa dos dois voos, de Amsterdam para Londres, e  de Londres para Johannesburg. Na hora do embarque, porém…. Nada acontecia. Aparentemente o tempo em Heathrow estava horrível e todos os voos estavam sendo retidos. Depois de muito tempo embarcamos, mas já com risco de perder a conexão
  3. Chegamos em Heathrow. Demora para abrir a porta. Esperamos, esperamos, esperamos até o capitão dizer que encontraram um problema na escada que seria usada para o desembarque e tiveram que ir buscar outra. Esperamos mais um pouco. Cada vez mais perto a hora de saída do outro voo…
  4. Trouxeram a escada. O povo se acotovela para desembarcar. De repente, todo mundo pára. Com uma voz algo desconsolada (mas disfarçando bem, como seria de se esperar de um bom inglês), o capitão anuncia que só havia um ônibus disponível para nos levar até o terminal, então temos que esperar ele ir e voltar, o que leva uns 15 minutos de cada vez. O tempo passa….
  5. Finalmente chegamos no terminal… Nem precisamos correr muito para saber que não conseguiríamos pegar o outro voo… Nos indicaram onde verificaríamos nossas alternativas. A fila ainda estava pequena, mas simplesmente não andava. Ficamos horas ali até sermos atendidos. Já era mais de 23h e nossos estômagos estavam nas costas, pois só fizemos um almoço leve (já que nosso primeiro voo era às 19h)
  6. Enquanto esperávamos, descobrimos que o outro avião ainda estava no terminal! Alguns amigos da Fê também estavam no mesmo voo, que também estava atrasadão. A gente tentou e tentou convencer alguém de que dava para embarcar, mas a flexibilidade era zero. Descobrimos depois que nosso voo de Amsterdam estava previsto para chegar ainda mais tarde, depois do outro decolar. Talvez por isto tenham colocado outros passageiros nos nossos assentos, já que vários voos tiveram problemas este dia, mas não conseguimos uma resposta clara
  7. Como não havia nenhum outro voo até a noite seguinte, nos deram vouchers para um hotel. A gente passou pelo controle de fronteira na boa, mas encrencaram com as amigas da Fê, pois elas precisavam de visto para entrar na Inglaterra. Ficamos esperando um tempo até as coisas se resolverem, mas quando fui checar elas já tinham passado e a gente se desencontrou
  8. Saimos do terminal e é claro que o shuttle para o hotel já não estava mais operando. Esperamos mais um tempo por um táxi; quando finalmente conseguimos um o motorista pareceu um pouco relutante… Depois descobrimos que é porque tecnicamente o hotel não fica em Londres, mas numa cidade ao lado, o que faz com que tarifa seja quase 3x mais cara do que a de uma corrida normal em Londres
  9. Comemos um negócio (mais de meia-noite) e fomos dormir por volta das 2h30 da matina, para acordar à 8h e ligar para a central de reservas para remarcar o voo… O hotel era ótimo, mas a noite foi péssima
  10. Finalmente embarcamos, na mesma hora, um dia depois. Mas é claro que a coisa não acabou aí…. Novo atraso na decolagem… Espera, espera, espera e 1h30 depois finalmente decolamos
  11. Tudo isto matou o dia que teríamos para conhecer Johannesburg e descansar antes de viajar para o Kruger Park. Também perdemos um jantar que parece ter sido excelente, numa churrascaria super bacana em Johannesburg. Basicamente chegamos no aeroporto e entramos no carro, enfrentando uma loooonga viagem – chegamos na casa que alugamos por volta das 21h. Nada como chegar em algum lugar depois de 54h de viagem Smile

Se tiver uma conexão, lembre de incluir uma muda de roupa na bagagem de mão. Como a gente não fez isto, tivemos que dar uma lavadinha nas nossas roupas na pia mesmo (ainda bem que tinha um daqueles aquecedores de parede para pendurar as toalhas, senão elas talvez não secassem…) e sair caçando um mercado para comprar desodorante e creme dental. Imagine-se nesta situação e não esqueça a muda de roupa, especialmente se a conexão for na Inglaterra, onde o tempo é sempre camarada Smile with tongue out

Nossas dicas práticas para Barcelona

DicasBarcelona01

Ainda não conseguimos escrever o tanto que gostaríamos sobre Barcelona, mas como a fila já andou e temos que escrever sobre mais algumas viagens, vou pelo menos registrar algumas dicas úteis. Não será um post muito detalhado, mas vai ajudar caso esteja programando uma visita à capital catalã.

Como chegar e como se movimentar

Fomos de avião, direto de Eindhoven para El Prat, o aeroporto que fica a apenas 12 Km de Barcelona. A conexão de trem do aeroporto para a cidade é muito boa, não há a menor necessidade de pegar um táxi. Mais cômodo impossível. Outro detalhe é que várias companhias aéreas de baixo custo operam em El Prat, o que é uma vantagem. Entre elas a Vueling, baseada lá mesmo em El Prat.

Barcelona não é gigante, mas é grande o suficiente para que você tenha que se organizar um pouco. Nossa “estratégia” foi ir de metrô até um ponto central para o que queríamos visitar e de lá passear a pé. Mais detalhes abaixo.

DicasBarcelona03Eu evitaria aqueles ônibus turísticos de 2 andares, super comuns em muitas cidades européias. Por três simples razões: primeiro porque, no geral, eles não fazem nada de muito especial. Você vai até as atrações principais, tem um áudio com alguma informação interessante e é só isso. Dá pra fazer tudo sozinho com um pouco de planejamento. Segundo porque vimos filas enormes para embarcar no ônibus, na baixa temporada! Fico imaginando o inferno que deve ser na alta temporada. Terceiro porque o metrô é ótimo, extenso e relativamente barato. Além de conhecer melhor a cidade você ainda evita carimbar “turista” na testa Smile Mas fique atento – não tivemos problema algum, mas li vários casos alertanto para furtos e pickpocketing no metrô. Na hora de comprar os tíquetes, prefira o de 10 viagens ou os para 1, 2 ou 3 dias.

O que fazer

Como ficamos alguns dias em Barcelona pudemos nos organizar de modo a visitar uma área que nos interessava por vez, com calma. Fizemos mais ou menos o seguinte (sem ordem cronológica):

  • DicasBarcelona02Dia 1: Cidade Velha (Ciutat Vella), especialmente o Barri Gótic, mas também a área do Port Vell e, é claro, Las Ramblas (foto)
  • DicasBarcelona05Dia 2: dia Modernista, passeando por Eixample e indo até o Parc Güell (que fica mais afastado, portanto organize seu tempo!). No caminho do parque, uma paradinha na Casa Vicens, o primeiro projeto de Gaudí (foto: Palau de la Musica Catalana)
  • DicasBarcelona04Dia 3: Montjuïc, bela vista panorâmica de Barcelona a partir do seu castelo e do parque que sobe o monte. Fica aqui o museu Miró
  • DicasBarcelona06Dia 4: basicamente a Sagrada Família, mais uma voltinha um tanto aleatória pelo Barri Gótic. É lógico que depende do interesse, mas eu visitaria a Sagrada Família sem pressa – não perca o subsolo, especialmente para ver como Gaudí encontrou uma forma engenhosa de projetar outra igreja – usando uma “maquete” de ponta-cabeça. Super dica para a Sagrada Família: compre seu ingresso de entrada em qualquer ATM do banco La Caja e fuja das filas da entrada. Infelizmente não dá para fugir da fila para subir a torre (compre outro ingresso ao entrar, caso queira), mas nem sempre dá pra ter tudo
  • Day trip 1 – Montserrat (leia o post). Vale muito a visita, mas se programe para sair cedo, senão estará em um trem lotado de turistas indo para o mesmo lugar
  • Day trip 2 – Museu Dalí, em Figueres (post!). Só vale se quiser visitar o museu, pois Figueres em si não é muito interessante

Onde comer

Leia os já tradicionais posts da Fernanda sobre os restaurantes onde comemos: parte I e parte II.

Onde ficar

DicasBarcelona07Como já disse, o metrô funciona muito bem e a cidade é um tanto “espalhada”. Então, a não ser que vá ficar pouco tempo e tenha um interesse bem específico, não se preocupe muito em ficar em um hotel central. Procure sim um bem localizado – o que quer dizer perto de uma estação de metrô e, preferencialmente, não muito longe das principais estações de trem – Plaza d’Espanya e Sants.

É isto, espero que estas dicas sejam úteis. Aproveite e dê uma olhada na nossa galeria de fotos de Barcelona para entrar no clima da cidade!

Meneer Frits – Eindhoven

Mais uma agradável descoberta!

O Meneer Frits é o restaurante/café da casa de Shows de Eindhoven (Muziek Gebouw Eindhoven).

Salão grande, atendimento um tantinho atrapalhado, cardápio interessante e pratos não muito caros. Com sorte você ainda faz sua refeição ao som do piano de cauda que fica no salão, o que foi o nosso caso. 🙂

O Dú comeu o prato do dia que era um frango com risoto e eu comi dois cortes de veado com purê de beterraba e pera cozida no vinho tinto. Ambos os pratos saborosos e muito bem preparados. Minhas carnes estavam divinas. Já a sobremesa ficou a desejar. O tiramisù era bem sem gosto, mas o sorbet de limão estava bem bom.

Serviço:

  • Meneer Frits
  • Jan van Lieshoutstraat 3 – Eindhoven
  • Tel: 040 2655610
  • Jantar para duas pessoas com bebida = €56,00

O que e onde comemos em Barcelona – Parte II

Continuando nossa listinha de restaurantes em que comemos em Barcelona. Aqui você pode conferir a primeira parte da história. 😛

The Tatami Room (Poeta Cabanyes, 19)

Saudosos de uma boa comida japonesa, buscamos referência e caímos no The Tatami Room. Um restaurante super charmoso, moderno mas aconchegante ao mesmo tempo. Cardápio elaborado e atendimento, mesmo que um pouco tumultuado, muito bom.

Tudo o que comemos estava divino.

La Tagliatella (C/ Cap de creus Figueres cant. C/ Canigó) – Figueres

Passamos um dia em Figueres, cidade onde Dalí nasceu, conceitualizou e montou seu museu. Nossa ideia inicial era almoçar no Onix (Carrer de Sant Llàtzer 8), um restaurante super bem avaliado e com um cardápio de causar muita indecisão. 🙂 Mas infelizmente ele estava fechado. Já era tarde e optamos pelo La Tagliatella. Um tradicional Italiano com grande variedade de massas e molhos. Tudo à sua escolha. Estava muito bom. As massas estavam bem frescas e muito leves. Não saímos decepcionados, mas que o Onix ficou na nossa cabeça isso ficou.

La Llesca (Avda. Gaudí, 12)

Se você não prestar atenção você passa batido por esse pequeno e modesto restaurante. Tínhamos visto as avaliações que estavam ótimas e resolvemos almoçar. Para ser bem sincera, só entrei porque tínhamos visto as avaliações, caso contrário eu não teria arriscado, não.

Restaurante simples, pequeno e de atendimento muito bom. Os pratos são DI-VI-NOS e baratos. Quando forem não deixem de pedir o pa amb tomàquet, uma bela fatia de pão tostada acompanhada de alho e tomate. Primeiro você corta o alho ao meio e esfrega na fatia de pão (assim como se faz com bruschetta), depois esfrega com vontade a metade do tomate, uma boa regada de azeite e está pronta uma entrada simples, mas saborosíssima. Se você quiser melhorar ainda mais, é só comer com umas fatias de Jamón Serrano, que é servido em uma porção enorme!

No almoço fomos de costela de cordeiro e medalhão de javali. Muito bons. E finalizamos com uma linda crema catalana. 🙂

O jantar de 31 de Dezembro também foi lá. O restaurante era caminho para onde queríamos ver a virada, que foi frustada, mas muito divertida, barato e muito bom. Repetimos. No jantar comemos camarões e lagostins na grelha. Além da mesma entrada: pa amb tomàquet e jamón Serrano e de sobremesa um prato típico, sugestão de um dos garçons: Mel i Mató, um queijo cremoso (a consistência se assemelha ao cottage) com mel e pinólis. Simples, mas maravilhoso!

O La Llesca fica literalmente a dois minutos da Sagrada Família, então não deixe de ir a esse simpático lugar!

La Pepita (Còrsega, 343)

Outro restaurante imperdível! Mas faça reserva. Ele é muito pequenino e disputadíssimo.

Ir a Barcelona e não comer tapas seria uma blasfêmia. E já que tínhamos de fazê-lo que fizéssemos em um excelente lugar.

O ambiente é o máximo, muito pequenino, aconchegante, tumultuado, barulhento, cheiroso, é uma loucura! Amei.

As tapas divinas, muitas opções. Ótimas opções de vinho também, e nada demasiado caro. Vale super a pena!

Não deixe de pedir as batatas bravas. O nome não é muito promissor, mas o sabor e texturas divinas. Uma delícia! O tartar não era bom, mas o que esperar de um prato típico francês em um tapa espanhol? 🙂

Amei o recadinho do espelho do banheiro! 🙂 Não é um charme?!

Gut (Perill, 13)

Mais um restaurante com excelente avaliação. Ambiente clean, cardápio especializado em produtos orgânicos e pratos vegetarianos. Uma ótima pedida. Para os famintos os pratos são um pouco pequenos.

Recebemos umas torradinhas como starter, uma delícia. Pedimos gyosa como entrada, eu comi camarões com alcachofra e o Dú um curry de camarões. Tudo muito saboroso e bem preparado. E como acompanhamento um Kamut, um grão (acho que é trigo), com ervilhas, muito bom também. Almocinho light e delicioso.

No geral, amamos a viagem. No quesito gastronomia, um prato cheio para os que gostam de comer e beber bem! E nem é preciso gastar horrores para isso. Claro que se você tiver a oportunidade, restaurantes mais sofisticados não faltam! 😀

O que e onde comemos em Barcelona – Parte I

Ah, Barcelona! O que dizer da comida de lá? TU-DO-DE-BOM! Especiamente para dois bons apreciadores da boa mesa que estão restritos ao paladar nada elaborado da Holanda.

Barcelona, depois de Florença, foi o melhor lugar que já comemos e bebemos enquanto viajávamos. Destino lindo e saboroso. Cheio de boas surpresas!

Como em qualquer lugar turístico sempre é bom ficar atento para não ser enganado. Pagar caro e comer mal. Para os que gostam de comer bem sempre vale a dica: dê uma pesquisada. É muito fácil achar boas indicações, rankings  e afins hoje em dia. O caminho mais fácil, e que tem sido muito confiável para nós, é o tripadvisor. Leia também os comentários, você pega muitas dicas boas neles!

Aqui vai a nossa limitada, mas muito produtiva relação de restaurantes e pratos que tivemos o prazer de conhecer e saborear em Barcelona.

Mussol

Chegamos tarde em Barcelona e chegamos com fome. Pedimos indicação de restaurante na recepção do Hotel e saímos em busca de um que ainda estivesse aberto, era 25 de Dezembro. Depois de andar um pouco pelos arredores do hotel achamos o Mussol. Um restaurante moderno e que depois descobrimos fazer parte de uma rede de restaurantes: Angrup. O ambiente é gostoso e a especialidade são carnes e legumes na grelha.

Restaurante simples, mas muito bom. Carne de muito boa qualidade. Foi aqui que começou a nossa sessão “tira a barriga da miséria” em relação a carnes. 😀

Ambos fomos de carne, umas batatinhas, cogumelos e alcachofras para acompanhar, além de uma legítima garrafa de vinho espanhol. Um promissor início de viagem.

Santa Caterina Cuines (Avda. Francesc Cambó, 16)

Outra mãozinha da sorte. Passeávamos pelo bairro gótico quanto bateu a fome. Bisbilhotamos alguns restaurantes e entramos no Santa Caterina Cuines. Arquitetura bárbara. Basicamente é um grande galpão rústico, com pé direito altíssimo, muito verde, prateleiras laterais com louças e insumos, tudo muito despojado. A comida bem preparada, mas porções pequenas e nada muito sofisticado, mas ainda muito saboroso. A fome era tamanha que só tirei foto do meu prato. Esqueci de tirar do prato do Dú. 🙂

La Botiga

Depois de exagerarmos na andança já no primeiro dia, resolvemos jantar pertinho do hotel. As avaliações do La Botiga não eram ruins, mas nada demais também. Resolvemos arriscar e esse foi um tiro no pé. Ambiente modernoso, atendimento básico, tentativa de um cardápio moderno, mas muito baixa qualidade na entrega. De olhos fechados eu diria que estava de volta à Holanda, comida normal, comível, sem graça alguma. 😦 Esse restaurante é da mesma rede do Mussol, mas no Mussol eles acertaram a mão, pelo menos na unidade que fomos.

Eu comi isca de frango com gnocchi, que mais parecia uma bomba de batata de tão denso. O Dú comeu um (literalmente) espetinho de camarão com um molhinho a base de maionese bem chechelento. Nem mesmo o vinho era bom nesse restaurante. O Dú, otimista, ainda pediu uma crema catalana que nada mais era do que um creme de maizena bem meia-boca. 😦

La Rosa del Desierto (Plaza Narciso Oller, 7)

A avaliação era boa e os comentários prometiam. Como passeávamos pelos arredores almoçamos nesse marroquino, cozinha que o Dú adora e eu também. 😉

Restaurante escondidinho, pequeno e de decoração que te transporta ao Marrocos. Ótimo atendimento e pratos muito saborosos e bem preparados, apesar de pequenos.

Comemos um pão marroquino com molho apimentadíssimo de entrada. Prato principal foi cordeiro, diferentes cortes e preparos, mas ambos muito bons. E para finalizar um divino baklava com chá marroquino.

Tudo estava muito bom, ambiente, serviço, pratos, mas não equivalente ao preço que pagamos. De toda forma, matamos a vontade de uma boa comida marroquina. 🙂

Botafumeiro (Gran de Gràcia, 81)

Quer comer bem, ser bem atendido e se deliciar com frutos do mar? Esse é o lugar!

Saímos em direção a um outro restaurante que feliz, ou infelizmente, estava fechado. Então fomos a nossa segunda opção de restaurante, o Botafumeiro. Esse era nossa segunda opção simplesmente porque era mais caro, mas as avaliações eram ótimas.

Acho que posso dizer que foi felizmente que nossa primeira opção estava fechada. 🙂

Fomos atendidos pelo Manolo. Guarde esse nome! Um senhor falador, muito simpático e que deve ser patrimônio do restaurante. Seguimos todas as suas sugestões e ficamos felicíssimos.

Infelizmente não temos nenhuma foto, estávamos concentrados demais na experiência gastronômica para pensar em fotos. Sorry! 🙂

Pãezinhos, azeitonas, chips e manteiga como antepasto. De entrada lula empanada e vinagrete de siri. Fabulosos. Como prato principal, ao invés da típica paella, fomos de fideuà, que nada mais é que uma paella que substitui o arroz por uma massa fininha, como um espagueti pequenino. Nesse ponto já podíamos sair rolando do restaurante, mas não dava para deixar passar uma crema catalana. Essa era “a” crema catalana. Antes da conta ainda trouxeram uns três pedaços de bolo, biscoito, bombom só para arrematar. Como se fosse preciso. 😀

Indo à Barcelona, não deixe de cometer essa extravagância!

Em seguida publicaremos a segunda parte dos restaurantes e comidinhas que experienciamos em Barcelona! Aguarde! 😛

Up-date: Clique aqui para ver a continuação desse post.

Sala Thai – Eindhoven

Procurando por alternativas de restaurantes na internet o Dú encontrou o Sala Thai que por sinal estava muito bem avaliado. Depois da visita entendemos o porque!

De ambiente mais sofisticado, com grande variedade de pratos no cardápio, cardápio em inglês (o que não é tão fácil de achar), ótimo serviço e preço mais salgado, mas tudo de muito boa qualidade.

De entrada comemos espetinho de frango ao molho de amendoim. O frango praticamente se desmanchava. Divino. Eu comi um salmão ao molho de curry verde e o Dú camarões ao molho Thai, ambos bem picantes. De sobremesa dividimos uma banana empanada com sorvete e leite condensado. Tudo muito bom, mas um pouco mais caro!

Serviço:
Restaurant Sala Thai
Staringstraat, 31 – Eindhoven
Tel: 040 243 4101
http://www.restaurantsalathai.nl
=> Jantar para duas pessoas com bebida = €70,00

Turks Restaurant EGE – Eindhoven

Esse é um restaurante que tínhamos esquecido. Felizmente foi lembrado e depois de duas tentativas, não sucedidas, fizemos reserva e fomos conferir.

Um restaurante familiar, com poucas mesas (por isso faça reserva se não quiser perder a viagem), grande variedade de pratos, pratos muito saborosos e grandes e com um preço muito camarada.

Já fomos duas vezes e nas duas tudo estava muito bom. Essa é uma excelente opção de restaurante em Eindhoven!

Da primeira vez comi um Kebab com molho picante e iogurte e o Dú cordeiro no molho de mel, castanhas e damascos. Tudo divino. Da segunda vez (sem fotos, sorry!), comi um filé de atum com legumes ao papillote e o Dú foi de Kebab, tudo igualmente divino.

Como se já não bastasse os pratos serem grandes e acompanharem batatas e legumes, também muito bem feitos, ainda servem uma entrada gigante: um pão turco enorme, cogumelos com queijo gratinado, iogurte com ervas, pimentinhas em conserva e azeitonas. Só a entrada já é quase uma refeição! 😀

Serviço:
Turks Restaurant EGE
Rivierstraat, 36 – Eindhoven
Tel: 040 257 3379
=> Jantar para duas pessoas com bebida = €45,00 / € 51,00

Cafe Herberg De Mispelhoef – Eindhoven

Era um sábado, dia 17 de julho, verão na Europa, mas os dias têm se apresentado cinza, com muita instabilidade e por consequência muita chuva! Mas esse foi um sábado diferente, finalmente! Resolvemos sair para jantar e fomos ao Cafe Herberg De Mispelhoef, um restaurante mais afastado e perfeito para dias de Sol e céu azul.

O páteo externo é uma delícia. Muito verde, pássaros, cachorros, pavões, macieiras… uma delícia! O cardápio é tradicionalmente holandês, ou seja, você vai encontrar comidas simples, de não muita sofisticação, todos os pratos acompanham salada e as tradicionais batatas fritas com maionese e você ainda conta com boa cerveja: La Trappe.

Eu pedi um schnitzel e o Dú uma massa com salmão, mas acabamos trocando, já que a massa além do salmão vinha com frutos do mar (ou monstrinhos, como o Dú se refere a eles – não preciso explicar porque trocamos os pratos, certo?). Não pense que fiquei triste com a troca não. 🙂

As tradicionais batatas fritas nunca faltam. Geralmente elas são diabolicamente deliciosas, irresistíveis! E a maionese, em sua maioria, é caseira e igualmente divina.

Os dois pavões ficam caminhando por entre as mesas tranquilamente. Chegam ao seu lado como quem não quer nada e se você lhes der um pedacinho de pão, aí sim terá a sua companhia garantida. 😀

Um restaurante muito agradável para dias abertos e de Sol, com comida simples e preços bem amigáveis.

Serviço:
Cafe Herberg de Mispelhoef
Oirschotsedijk 9 – Eindhoven
Tel. 040 262 41 28
http://www.demispelhoef.nl
=> Jantar para duas pessoas com bebida = €37,00

Sinema Turkish Restaurant

Fomos duas vezes a esse restaurante, o Sinema (sim, o nome do restaurante é com S mesmo). Um restaurante turco que fica bem pertinho do cinema no centro de Eindhoven. 🙂

A ambientação é ótima, muitos detalhes, muito vermelho, muitas fotos de atores famosos nas paredes, tudo bem característico. Móveis de madeira pesados, lustres de ladrilhos coloridos e música turca!

Mas temos um problema com esse restaurante. Fomos duas vezes e temos impressões muito distintas. Adoramos da primeira vez. Os pratos estavam muito saborosos, uma delícia! Então voltamos, mas aí nos decepcionamos. De toda forma, ainda voltaremos mais uma vez para tirar a prova e para apreciar a ambientação que é o máximo! Quando formos novamente, atualizo o post contando o veredicto! 😛

Fotos dos pratos que comemos na segunda vez

Serviço:
Sinema Turkish Restaurant
Dommelstraat 25a – Eindhoven
Tel: 040 2939828
http://www.sinema.nu
=> Jantar para duas pessoas com bebida = €51,00 (primeira vez) e €47,00 (segunda vez)

d’Oliveira – Restaurante Português em Valkenswaard

Minha expectativa era comer alheiras de entrada e sardinhas como prato principal. Entrei salivando no restaurante só imaginando, mas… Qual não foi a nossa surpresa logo que entramos no restaurante.

Do lado de fora parece um restaurante tradicional, nada sofisticado. Já do lado de dentro um salão lindo, luzes indiretas, mesas e cadeiras imponentes, decoração, tudo de muito bom gosto. Felizmente demos uma olhada no cardápio e os preços não eram abusivos (de alguns pratos ao menos).

O cardápio seguia a mesma sofisticação do salão. Pratos bem elaborados e muito saborosos. Para começar um belo porto branco e antepastos deliciosos. Os pratos: Divinos.

Mesmo não satisfazendo o meu desejo inicial saí muito satisfeita com o que comi. 🙂

Sem dúvida esse é um restaurantes que voltaremos. 😛

Serviço:
d’Oliveira restaurant
Frans van Beststraat, 11 – Valkenswaard
Tel. 040 2021226
http://www.restaurantdoliveira.nl
=> Jantar para duas pessoas com bebida = €54,00