Arquivo | Histórias RSS for this section

Olha a placa! 2

Neste post mostrei algumas placas para nós impossíveis de entender. Em algumas das nossas mais recentes andanças vimos outras placas que desafiam a lógica e a criatividade:

Aparentemente é permitido afogar-se neste trecho do rio:

060

Mas nada de estacionar neste outro aqui:

IMG_9244

Cuidado: você está saindo da área exclusiva para pedestres e entrando na área de atropelamento de pedestres:

IMG_9407

Proibido plantar pinheiros? E outros tipos de árvore, pode?

IMG_9315

Errr, zona de reprodução bovina?

176

E na francófona Bruxelas, valões tem prioridade sobre flamengos: podem passar pelo túnel 1,5h antes Smile

554918_10150998062894443_164075398_n

Publicada por gewoon negeren no Facebook

Gostou? Aguarde o próximo post – temos mais algumas placas misteriosas, desta vez diretamente da África do Sul.

Anúncios

French fries é francesa?

O que de mais básico pode existir que batata frita? Mas para falar a verdade de básico não tem nada não.

Eu nunca fui lá muito fã de batata frita, não só pelo caráter pouco saudável, mas também porque é muito comum encontrar batatas encharcadas em óleo por aí. Depois de nossa mudança para a Bélgica o negócio mudou de figura! 🙂

Em praticamente toda refeição batata frita é O acompanhamento e isso não se restringe à Bélgica, o mesmo acontece aqui na Holanda. Mas não pense que é uma batata frita qualquer, é “A batata frita”. Sequinha, dourada, macia por dentro e crocante por fora. Uma loucura! Para a nossa perdição.

Em inglês batata frita é chamada French Fries, ou batatas francesas. Com esse nome eu, quase que instintivamente, deduzi que batata frita era invenção dos franceses. Mas um dos nossos amigos belgas nos contou a história, ou estória (quem sabe?!), que a batata frita na verdade é originária da Bélgica e que seu nome French Fries (batatas francesas) deve-se ao fato de que na primeira guerra mundial os soldados belgas, que falavam primariamente francês, apresentaram a batata frita aos colegas americanos no campo de batalha. Os americanos por sua vez, apelidaram a tal batata de French Fries, uma vez que essa fora preparada e servida por soldados que falavam francês.

No wikipedia você pode conferir um pouco mais sobre a história da batata frita, a qual inclui essa versão também. 🙂

Durante a visita da mamni, uma de suas vontades era a tal French fries. E para a minha indignação me peguei na maior dúvida de onde levá-la para comer uma bela French fries. Mesmo sendo uma iguaria básica pelas bandas de cá, quero levar mamaninha no melhor lugar possível para comer a melhor batata frita possível. 😉 Mãe merece sempre o melhor, não?! Em uma pesquisa básica (best fries in Eindhoven) me surpreendo com o Frietopia Foundation. Dá para acreditar que os caras por aqui são tão obcecados por batata frita que existe até uma fundação que visa “medir” a qualidade das batatas fritas da região?

O lado útil é que para aqueles que procuram A batata frita mesmo estando Na terra da batata frita esse pode ser um bom meio para começar a degustação. 😀

No site você inclusive encontra duas listas muito, muito interessantes: Hall of fame e Hall of shame. E para a sorte da minha mãe uma das melhores Frituurs, ou lojinha onde se venda basicamente fritura, incluindo as famosas batatas fritas, fica aqui em Eidhoven, é a Frituur Martin Zwerts (Boschdijk, 436, Eindhoven). Mas…. Quando fomos estava fechado 😦 Toca voltar para o centro de Eindhoven e procurar um outro frituur, igualmente bem recomendado.

Esse é bem no centro, chama-se Dick en Lang (Jan van Lieshoutstraat, 28). Não é um lugar que eu normalmente pararia para comer. Aliás, não era, passado! Por puro preconceito. Batata divina, crocante e sequinha. Porção gigante, pelo menos para os nossos padrões, e acompanhada de muita maionese. Eita gula boa! 😀

Ah! E o segredo da batata é que ela é frita duas vezes. Primeiro uma pré-fritada, sem deixá-la dourar. Já na segunda vez, ela fica menos tempo no óleo, só o suficiente para ficar dourada e irresistivelmente crocante. 😉

E não é que ele existe?

Você se lembra da confusão ítalo-argentina que descrevi aqui? Pois não é que nas nossas andanças pelas inspiradoras ruas de Barcelona nós demos de cara com o restaurante GINOS?

hehehe Pelo visto nosso amigo argentino não estava tão louco assim, ele só se confundiu de país. 😛

Todos os caminhos levam a Ausfahrt

Logo no começo do meu MBA um grupo de amigos alugou um carro e viajou para a Alemanha. Não demorou muito para eles verem a placa

ausfahrt1

Continuaram a viagem, até que viram

ausfahrt3

Mais alguns quilômetros e… adivinhem

ausfahrt4

Que raio de cidade é esta,que tem sempre uma saída???!!!!??? Pergunta um deles

Não é uma cidade; ‘ausfahrt’ é ‘saída’ em alemão…. Responde o outro

Lembramos desta história quando viajamos para a Alemanha. Não dá para evitar a risada Smile

Mas aposto que é um engano comum. Se não fosse, por que esta loja teria criado uma camiseta perguntando onde é Ausfahrt?

ausfahrt5

PS: nenhuma das fotos é nossa; são o resultado de uma busca rápida no Google. Acho que quem as fotografou não vai se incomodar delas estarem neste post inocente Winking smile

O dia em que meu Inbox parou

Dia desses recebi a seguinte mensagem:

inbox1

Impossível parecer menos legítimo… Tudo muito genérico, algo urgente que exige uma ação rápida, um link para você clicar… Se tudo isto não é suficiente, repare no @domain.invalid e no fato de que o email foi enviado para um grupo de pessoas de diferentes países!

Mas nem todo mundo pensa assim, e a primeira pessoa a responder foi rápida no gatilho: em poucos minutos, a primeira resposta:

inbox2

É claro que esta não foi a única; uma avalanche de emails veio em seguida, até que alguém tentou alertar os incautos:

inbox3

Sem muito sucesso, porque os emails continuaram a chegar… Alguns até resolveram contar quantos emails foram enviados:

inbox4

Alguns ficaram irritados:

inbox5

Enquanto outros estavam se divertindo:

inbox6

Em alguns momentos a coisa ficou tragicômica (posso imaginar como a pessoa estava preocupada, mas não pude segurar a risada…):

inbox7

Depois de entupirem a caixa de entrada de nem-sei-quantas-pessoas as mensagens finalmente pararam… Depois de algumas horas.

Estou contando isto como algo engraçado mas na verdade é muito sério. Só mostra que muita gente continua vulnerável a simples ações de engenharia social – e toda a tecnologia que temos à nossa disposição em certa medida só tornou a vida de quem faz isto mais fácil.

Então, da próxima vez que receber aquele email do suposto nigeriano que quer transferir alguns milhões de dólares para sua conta, não vá correndo para o aeroporto – só aperte DEL Smile

Não desanima não!

Nossos leitores mais atentos já perceberam que a Fê não tem escrito muitos posts ultimamente. Para ser mais exato, desde o final de agosto ela escreveu exatos 3 posts.

Bom, aqui ela explica que depois do seu mestrado começar, não tem tido muito tempo livre. E eu posso atestar que é verdade!

fe

Mas não desanima não, Fê! Daqui a umas poucas semanas o primeiro período acaba e aí tudo ficará mais tranquilo. Há luz no fim do tunel Smile

Papai Noel já chegou na Holanda – veio de barco, da Espanha

Não, este não é um post publicado antes da hora. Nem a mistura de dois posts completamente não relacionados. Na Holanda as coisas são um pouco diferentes quando falamos de Natal.

sinterklaasO “personagem” aqui é Sinterklaas (São Nicolau), um bispo que morou onde hoje é a Turquia, padroeiro das crianças e dos marinheiros. Por alguma razão ele se mudou para a Espanha, tem um livro com o nome das crianças que se comportaram bem e das que se comportaram mal, anda em um cavalo branco chamado Amerigo (nome simpático, não acha?) e é ajudado pelos Zwart Pieten (“Pedros negros” – ugh, o politicamente correto foi pro espaço agora). Menos mal que o Zwart Piet é a representação de crianças mouras que teriam sido salvas pelo São Nicolau. Como vir da Espanha a cavalo ia deixar o coitado do Amerigo aos frangalhos, Sinterklaas pega uma carona de barco para vir até a Holanda. Ele chega na metade de novembro (a data varia) e fica até a noite de 5 de dezembro, quando é celebrado na Holanda. Como a Bélgica e a parte flamenga da França gostam de ser diferentes, a celebração ocorre na manhã do dia 6. Durante estes 20 dias, antes de dormir as crianças deixam um sapato com uma cenoura para o Amerigo (que deve engordar pacas nestes 20 dias) em troca de um doce ou um presentinho. Alguns doces são bem característicos desta época, como o pepernoot ou o kruidnoten. O kruidnoten é bem gostoso mesmo (imagine um cookie de gengibre redondinho e mais firminho) e estou prestes a colocá-lo no sorvete. Se a criança se comportou mal, ganha um pacote de sal. Não dá pra ser mais claro.

E como o Sinterklaas virou Santa Claus? Uma boa explicação é que, durante a Guerra da Independência dos EUA, os habitantes de Nova Iorque – na época Nova Amsterdam – reinventaram a tradição de Natal para se desvencilhar de seu passado de colônia holandesa. Mandaram o pobre do Sinterklaas da ensolarada costa espanhola para o Pólo Norte, onde ele tem que se virar com um trenó, renas e elfos. Os doces e presentes ficaram – afinal, quem não gosta de um docinho diferente ou de um presente legal nesta época? Winking smile

Olha a placa!

Dirigir na Europa é uma moleza; as estradas são ótimas, o trânsito normalmente ajuda (tirando algumas áreas) e a sinalização é clara – depois que você se acostuma com algumas diferenças. Talvez a diferença mais visível é que as estradas tem menos sinalização de velocidade do que no Brasil – o limite é definido pelo tipo de estrada e quando você entra nela há uma placa indicando qual é o tipo. Nada complicado, mas diferente.

Mas como toda regra tem sua exceção, às vezes nos deparamos com algumas placas impossíveis de entender – não importa o quanto se tente. Eis nossa pequena amostra:

placa1

Falando sério, o que isto significa? Proibido carro-bomba? Proibido acender fogueira no teto do carro? Até hoje esta placa é o maior mistério para nós… (esta foto foi tirada na China, mas já vimos a mesma placa por aqui também).

placa3

E esta? Atenção com o bigode? Foto tirada em Frankfurt.

Para terminar, não tenho a menor ideia do que esta placa significa, mas ela parece bem mais legal do que as outras duas Smile O melhor é que ela está aqui pertinho, em Eindhoven mesmo.

placa2

Um sapão educado

Sexta-feira, dia não oficial de trabalhar em casa na Holanda (ou pelo menos na Philips). O escritório fica meio vazio (ótimo para achar salas de reunião livres) e mais silencioso.

Estava eu numa destas sextas-feiras trabalhando sossegado, ninguém ao meu lado e apenas uma pessoa na minha frente, do outro lado da baia baixa. Como não quero alimentar estereótipos sobre diferentes culturas, vou dizer apenas que ele com certeza não é nem holandês nem brasileiro.

De repente um arroto. Não foi assim um arrotão escancarado, foi mais como um arroto controlado – mas ainda assim bem audível. “Ele deve estar meio mal do estômago”, pensei com otimismo com os meus botões. Algum tempo depois… outro arroto. Mesmo esquema: controlado, mas sem dúvida um arroto. E mais um. E outro. Bom, você pegou a ideia da situação.

ga960529

Só para variar, veio um espirro. “Sorry!”, eu ouço vindo do outro lado da baia.

Sapão, mas ninguém pode negar que era educado Winking smile

A nova cara do Cacau!

Em 21 de agosto de 2009 a Fê escreveu o primeiro post do Cacau com Lúpulo.

Depois de 2 anos, 248 posts publicados, 16.358 acessos, dezenas de histórias contadas e fotos publicadas, estava mesmo na hora de dar ao Cacau uma nova cara.

Gostou da nova cara do Cacau? Preferia a antiga? Tem alguma ideia para melhorá-lo? Deixe seu comentário – e não deixe de acompanhar a nova fase do Cacau com Lúpulo.