Arquivo | Apartamento RSS for this section

Os efeitos da primavera

Nas primeiras semanas da primavera o tempo estava bem gostoso. Sol todos os dias e aquele quentinho gostoso que faz com que tenhamos vontade de abrir as portas e janelas de casa para permitir completa ventilação e renovação de energias. Uma delícia.

Os dias foram passando e um certo dia quando fui estender no terraço a roupa que acabara de lavar me deparo com uma poeira amarela e grossa que cobria por completo as grades que cercam o terraço, a mesinha e as cadeiras. Fiquei possessa e blasfemei contra uma reforma em uma casa na rua ao lado. Única explicação plausível (na minha cabeça) para toda essa poeira que de repente invadiu minha casa.

Os dias foram passando e a poeira lá permanecia. Eu limpava e ela voltava. Eu limpava e ela teimava em voltar. Tinha dias que eu não queria nem abrir a porta do terraço para que aquela poeira toda não invadisse a casa que eu acabara de minuciosamente limpar.

Então na páscoa viajamos para Colonia, na Alemanha. Ao chegar na cidade, deixamos o carro no hotel e fomos caminhar pelo centro. Paramos em um dos bares para tomar uma cerveja e beliscar alguma coisa enquanto aproveitávamos o dia agradável. Nos sentamos em uma das tantas mesas dispostas na calçada e passados alguns minutos me deparo com aquela invasora. “Será possível? Olha, Dú. É essa, é a mesma poeira que tem lá em casa. Mas o que é isso?” E então a ficha caiu e eu mesma respondi: “É pólen, Fernanda. É pólen!”

Depois desse dia deixei de blasfemar, continuei abrindo a porta do terraço todos os dias e pouco me importei com a poeira amarelada em cima dos móveis. 😀

Esse é o tampo da mesinha do terraço, o qual fora limpo no dia anterior à foto. 🙂

O veredicto final

Como comentei nesse post eu estava na fase de testar o microondas/forno-convecção/grill, ou para simplificar, o “trio”. Algumas das receitas dessa fase de teste foram um bolo de tangerina com cobertura exagerada de chocolate, lombo no limão siciliano, alho e gengibre (que de tão perfumado, esqueci de fotografá-lo, mas quando rolar uma reprise, porque obviamente vai rolar, eu fotografo, eu juro), lasanha de frango, brownie, peixes e finalmente a prova final: os cookies.

A receita original está aqui, mas dessa vez tive que modificá-la já que ainda não consegui achar açúcar mascavo. Além disso, ainda fiz metade da receita. Eu não ia arriscar perder todos os ingredientes, né?!

Cookies

Misturar bem até virar um creme homogêneo:

  • 70gr de manteiga
  • 1/3 xícara de açúcar, na falta do mascavo usei o demerara

Acrescentar à mistura um ingrediente por vez (não usar batedeira, apenas misturar na mão mesmo):

  • 1 ovo (temperatura ambiente)
  • 1 colher de baunilha
  • pouco mais de ½ xícara de farinha de trigo
  • pouco mais de ¾ xícara de muesli (quanto mais diversidade de castanhas melhor, o que usei tem avelãs, amendoas, uvas-passas…)
  • 1/2 colher de bicarbonato de sódio
  • 1 pitada de sal bem pequena

Por fim acrescentar duas barras de chocolate picadas, uma de chocolate ao leite e outra de chocolate meio amargo (75gr cada). Também acrescentei um bom punhado de castanhas-do-Pará picadas grosseiramente.

Em uma assadeira untada com manteiga e farinha colocar pequenas porções, aproximadamente a medida de uma colher de sobremesa. No meu “trio” os cookies levaram quase 10 minutos em convecção 180C para ficar prontos.

O segredo é não bater a massa, apenas misturar. Para colocar na assadeira também não forme bolinhas com as mãos, apenas coloque a massa utilizando duas colheres. Quanto menos manipulada for a massa melhor. A receita rendeu 57 unidades que sumiram em 8 dias.

E o veredicto final foi mais do que positivo. “Trio” aprovadíssimo! 😛

A energia do Sol

Esta semana trouxemos o Sol ainda mais para dentro de casa. Já falei que temos três grandes janelas mais uma grande porta de vidro em nossa sala que deixam a luz, energia e força do Sol invadirem a nossa vida? E ainda não satisfeitos essa semana trouxemos a vida e a cor dessas belezinhas para alegrar ainda mais os nossos dias!

Mas voltando ao Sol, felizmente não podemos reclamar a sua ausência. Desde nossa chegada, ao final de janeiro, em Eindhoven o Sol tem sido um bom companheiro. Os dias cinzas e chuvoso ficaram em Leuven. 🙂 Isso garante uma sensação gostosa mesmo nos dias mais frios. Mas é verdade que venta, como venta nessa terra. Esse final de semana o Sol estava intenso e bem quente, mas bastava ficar em uma sombrinha para sentir muito frio. O vento não deu sossego, mas o Sol estava, e está, aqui, aquecendo, iluminando e energizando os nossos dias. 😀

Flores – Semana III

Aqui estão elas. Lindas, vibrantes, delicadas, perfeitas e tranquilizantes! Segundo mamãe. 🙂

Logo cedo quando levanto e vou para sala dou de cara com essa belezura se banhando ao Sol da manhã. É ou não é para se sentir abençoada logo cedo?! 😀

Amanhã é dia de trocá-las. Vamos ver qual será a cor da semana.

Brinquedos… Eba!

Quando você estiver de mudança de país principalmente, pois muitas coisas muito corriqueiras deixam de o ser, preste atenção aos detalhes. Eles sim são importantes!

Dessa vez nós trouxemos nossas coisas do Brasil, móveis, louças, utensílios… Tudo o que tínhamos. Como já sabíamos que normalmente uma casa/apartamento já vem com cozinha completa e o espaço dedicado a fogão, geladeira e máquina de lavar são infinitamente menores do que estamos acostumados no Brasil, resolvemos vender os eletrodomésticos também por conta da voltagem. Na Europa tudo é 220v.

Mas… Resolvemos trazer o aspirador de pó e a batedeira. “Ah! É só comprar um transformador e a parada está resolvida!” Ledo engano. À não ser que tivéssemos comprado o transformador no Brasil e garantido que teríamos um aqui. Corri a cidade em busca de lojas de materiais de construção, de equipamentos elétricos e o escambau. E nada! Todos nos diziam que era mais barato comprar novamente os equipamentos.

Nosso primo está a caminho e pensamos em pedir para ele trazer um transformadorzinho 220v-110v 3000w, mas acho que não seria muito agradável ter um trambolho pesado como esse durante toda uma viagem, não é?! 😛

Finalmente resolvemos nosso enrosco, mesmo porque mudar, abrir caixas, montar móveis sem um santo de um aspirador de pó é um parto, viu?! Quarta à noite nos decidimos e fizemos o pedido e hoje às 10h00 recebi meus novos moradores de braços muuuito abertos e sorriso escancarado no rosto. 🙂

Sabe do que vou brincar agora? De aspirar a casa!!!! Vou poder abrir meus tapetes! 😀

Pegou a mensagem, né? Se estiver de mudança para o exterior, não marque bobeira: ou venda todos os seus equipamentos eletro/eletrônicos ou garanta que você terá os adaptadores/transformadores necessários para não ter que comprá-los novamente e ainda ter que armazenar o antigo, em perfeito estado, mas que não pode ser usado. 😦

E bem, para aqueles que ainda não sabem, não preciso nem dizer onde é mesmo que o Dú trabalha, né?!

De casa nova e energias renovadas

Esses últimos dias não têm sido lá muito fáceis. Muito trabalho físico e braçal. Abre caixa, carrega caixa, esvazia caixa, limpa, tira o monte de pó que se acumula com toda essa mexeção, recebe armário, monta armário, limpa armário… Ufa! É trabalho que não acaba mais. Mas uma coisa é certa: É a nossa casa e já está ficando com a nossa cara.

Dá um conforto tremendo estar em casa, não dá? E depois de tanto tempo é essa a sensação que temos: Estamos em casa! 🙂

Para comemorar queria fazer um brownie, mas não achei bicarbonato de sódio. Então, decidi fazer um bolo, já que estou na fase de testar o nosso micro-ondas/forno-convecção/grill.

Aqui na Holanda, assim como na Bélgica, não é muito comum você encontrar casas/apartamentos com forno convencional. E essa era uma preocupação minha já que a-do-ro um bom forno. Quando finalmente conseguimos decidir por que apto alugar, minha única ressalva era a ausência de forno, mas não dá para ter tudo da vida, né?!

Nossa cozinha veio equipada com esse micro-ondas/forno-convecção/grill o qual veio com um singelo livro de receitas. Decidi testar algumas delas antes de estar convencida que esse “trio” não daria conta das minhas necessidades. Essa semana preparei peixe, batatas com salmão, couve-flor gratina e queria testar o brownie, já que os resultados, à medida que entendo o seu funcionamento, estão melhorando a cada prato.

Sem bicarbonato de sódio, vamos de bolo. Como tinha deliciosas tangerinas na gelatina decidi por um bolo de tangerina com cobertura de chocolate meio-amargo.

A base da receita foi da Márcia Zoladz. Fiz metade da receita e uma cobertura diferente da dela.

Bolo de Tangerina com cobetura de chocolate meio-amargo

Ingredientes

  • 2 ovos
  • 3/4 xícara de açúcar (usei demerara)
  • ½ xícara de suco de tangerina
  • 1 xícara de farinha de trigo
  • 1 colher de chá de fermento em pó

Modo de preparo

Bata as gemas até ficar um creme claro. Adicione o açúcar e bata até se transformar em uma gemada bem cremosa. Adicione o suco da tangerina, a farinha e o fermento e mexa bem até incorporar todos os ingredientes. Por fim adicione delicadamente as claras em neve em duas etapas, para garantir o efeito fofo que elas podem proporcionar.

Leve ao forno pré-aquecido em fôrma de 23 cm em 170C por pouco menos de 40 minutos. Lembre-se que usei o forno do trio, então fique de olho no seu bolo. Cada forno tem uma regulagem e o tempo de cocção pode ser bem diferente de forno para forno. Quando ele estiver moreninho e passar no teste do palito ele está pronto.

Para a cobertura derreti em banho-maria 150gr de chocolate meio-amargo belga (desculpa, tá?!) e incorporei 100ml de creme de leite fresco. Quando o bolo estava frio, o desenformei, fiz furos usando espetinho de madeira de churrasco, cobri com o chocolate e lambi a colher. 😀

P.S.1: Depois desses testes estou praticamente convencida que este “trio” é bão mesmo! E fico duplamente contente por não ter que gastar dinheiro comprando um forno elétrico e não terei nenhum trambolho a mais na minha cozinha. 😛

P.S.2: O bolo ficou bem fofinho e com sabor suave de tangerina. A quantidade de cobertura poderia ter sido menor, pois o sabor do chocolate acabou predominando, mas não me atrevo a reclamar. 🙂 Quando tiver novamente um liquidificador repetirei a receita, mas incorporando uma tangerina batida com casca e sem sementes. Deve acentuar mais o seu sabor.

P.S.3: Esse é praticamente o primeiro bolo que faço. O Dú não é muito fã de bolo e na minha família a boleira é a Michelle, que tem mãos abençoadas para bolo. Sempre ficam altos, fofos, lindos e gostosos. Fiquei feliz com o resultado!

Olha ele aí! Primeiro ainda sem a cobertura perdição. Depois já com a bendita! 🙂

Home-sweet-home

No meio da maior baderna, aqui estão elas, lindas, frescas, energizadas e energizantes. Estas são as primeiras flores de nosso novo lar. Uma oferta para nosso querido anjo da guarda. 😀

Sofá cama que nada…

Uma querida amiga vem nos visitar. Ficamos muito feliz com a notícia, mas aí veio o desconforto: onde ela vai dormir? No sofá?

Pensamos em comprar um sofá cama, mas um novo é bem caro e na second hand nunca tem… deve chegar e logo sair, mesmo porque essa loja aqui é sem fins lucrativos e as coisas são bem, bem baratinhas!

Mas a Thaís deu uma idéia muito boa… de comprarmos um colchão inflável! Como não tínhamos pensado nisso antes?

Pois bem, muquinha que sou pesquisei na internet, rodei as lojas aqui do centro, e, como nada é por acaso, recebemos uns encartes de promoções de um monte de lojas e uma delas era de material de construção e tinham dois colchões em promoção.

Ontem logo que voltei da aula de inglês, fui até a loja… um sufoco. São quase três quilometros daqui de casa, mas achei que de bike ia ser moleza… engano o meu… Acho que 1/3 do caminho era uma subida, não muito íngrime é verdade, mas com uma bicicleta que só tem uma marcha funcionando, e claro, a que funciona é a mais pesada… foi um pouco difícil! Mas tudo bem, tenho que fazer exercício… hehehe

Cheguei lá suada e olha que estava só 13graus e um ventinho bem gelado! É uma loja gigante, perguntei pelo colchão e o rapaz me mostrou onde estavam, mas o de 10,00 euros (que era o que eu iria comprar) não tinha a bomba acoplada :-(. Já pensou encher um troço desse na mão?

Vi outros colchões, muito mais caros, e também as bombas separadas. A bomba mais barata era manual, mas ficaríamos a noite inteira para encher um colchão daquele tamanho… hehehe… e a bomba automática era 25,00 euros, então decidi comprar o outro colchão que estava em promoção… esse foi mais caro 39,95 euros… mas comparando as opções (que tinham na loja e as que eu já tinha achado em outros lugares) acho que foi a melhor escolha.

Ele é maior que o outro (163x208cm o outro era 137x191x22cm), é duplo, ou seja, 47cm de altura e vem com a bomba automática acoplada. Tudo de bom! Na caixa diz que em 4 minutos ele está cheio…. e não é que é verdade mesmo?

conchao

Mas a história não acaba aí, não! Bem, como esse é bem maior, o peso também o é! Acho que deve ter uns 10 quilos ou um pouco mais… peguei a caixa e rumei à minha super bike… saquei minha super cordinha e minha super sacolona da Ikea (pau-para-toda-obra) da mochila e estudei por uns minutinhos como amarrar a caixa na garupa… foi uma gambiarra só, mas no fim funcionou. 😉 Aí é que percebemos como somos criativos… hahaha

Como na ida foi subida, na volta foi descida… ufa! Fui devagarzinho, pois a cada saculejada a caixa se mexia e eu tinha que dar uma arrumadinha… enfim cheguei em casa com o super colchão.

Acabamos de enchê-lo! É melhor testar, né? Ver se está funcionando direitinho e se não murcha no meio do caminho… Ele é bem gostoso…. não é um colchão de verdade, mas vai quebrar o galho em grande estilo!

Agora já sabem temos um colchão para receber visitas 😉

Ai… Cansei!

Como alguns de vocês têm acompanhado nos últimos posts, todo o sedentarismo que tinha em São Paulo desapareceu!

Tudo começou bem cedo, quando tivemos que carregar aquelas malas monstro (… e um dia elas vão ter que voltar, ai!). Logo depois começou a andança. Meu Deus, como nós andamos! E andamos debaixo de um Sol inacreditável. Finalmente vieram as bicicletas, que alívio! Mas assim mesmo é um belo exercício para quem não tem musculatura desenvolvida, especialmente na volta do mercado, com as compras nas costas ;-).

Mas como eu não estava lá muito satisfeita com o volume exercício e tendo em vista que meu apetite por chocolate aqui é bem maior, resolvi aumentar a dose dos exercícios e fui pintar!

No início era o banheiro… ele não é muito novinho, a pintura já era escura e ainda estava bem sujinha! Perguntamos aos proprietários se não havia problema e eles até nos trouxeram a tinta e os apetrechos. Achei muito legal! Mas aí como eles haviam trocado os armários da cozinha, uma parede estava meio sem tinta e… pronto: Banheiro e Cozinha!

Pintando_1Então, ontem e hoje fiquei eu pintando os dois cômodos… a tinta não era Suvinil, mas era boa ;-). Na verdade ela é bem diferente, é uma tinta beeem grossa, achei que dá mais trabalho, fica pesado para passar, mas em compensação duas mãos em uma parede beeem suja ou escura é mais do que suficiente.

Estou toda dolorida, mas o resultado valeu! Um banheiro clarinho sempre é mais gostoso ;-).

Eba! Primeiro dia no Ap…

(o que aconteceu em 27 de agosto de 2009…)

Tudo parece ainda muito estranho… sabe quando você muda de casa, nem precisa ser em outra cidade ou país, mas a primeira noite na casa nova sempre é um pouco estranha… os barulhos ainda não são conhecidos, acordamos no meio da noite nos perguntando: “onde é mesmo que estou”, mas logo a ficha cai. Pois é, conosco não foi muito diferente! Como nos mudamos apenas ontem não estamos habituados ainda à nova casa.

É divertido ter que parar para pensar, onde é mesmo que é o banheiro ou onde deixei meu chinelo, e as roupas… em que lado ficou à direita ou à esquerda, em qual prateleira? rsrsrsr

Ainda não temos nada na geladeira… então fomos tomar nossa café da manhã em uma padaria super charmosa bem pertinho e seguimos direto para a Ikea novamente. O travesseiro do Edu não era bom (ele acordou reclamando de dor no pescoço), um dos lençóis era grande demais e o edredon que tinha aqui não dá para ser usado… sujo, eca! Ah, e o armário é pequeno e não couberam todas as nossas roupas, resultado: temos ainda duas malas para desfazer.

Isso quer dizer que, mais uma vez, saímos para andar, andar e andar ;-). Mas hoje foi bem mais fácil, já sabíamos que ônibus pegar e onde descer. Percorremos toda a loja novamente, que desbunde! Compramos mais um monte de coisa e saímos carregados… pega o busão, acomoda as coisas no busão, desce depois de 30 minutos e caminha até a nossa casa carregando tudinho! O mais engraçado foi quando sentimos alguns pingos… “Ai meu Deus! Eduardo, vamos andar mais de pressa, temos que chegar antes que chova!” Como se tivéssemos um ritmo lento nas nossas habituais caminhas por Leuven… rsrsrsr

Montamos o armário, acabamos de desfazer as malas (eba! Agora só falta achar uma forma de guardar os sapatos rsrs), colocamos o edredon no forro (isso é realmente super legal! Você compra o forro e depois escolhe que “recheio” você quer. Tem inclusive as graduações de calor (de 1 a 5), compramos dois em um, dessa forma temos um edredon grau 1 e outro grau 3, mas também podemos usar os dois juntos e temos então um terceiro ainda mais quentinho!) e então fui parar na cozinha… dar um tapa nos armários e começar a lavar as louças que estavam completamente empoeiradas e com a serragem dos armários…

Percebi o quanto nossas pias de pedra (granito e outras) são fantásticas! Aqui é tipo uma fórmica e fico super encanada de lavar a louça e deixar água cair, paro de lavar e fico secando o tempo todo… uma hora eu me acostumo. Mas não deu para lavar tudo, o escorredor é muito pequeno e não temos ainda pano para enxugar a louça. rsrsrs

Fomos fazer nossa primeira compra. Em SP éramos super rápidos, em 30 ou no máximo 40 minutos fazíamos compra, era uma beleza! Hoje acho que ficamos 1h30 só vendo os produtos e tentando entender o que era o que… compramos as coisas para o nosso café da manhã… eba! Amanhã tem café em casa!