O dia em que TUDO deu errado

10 de julho entrou para a história como o dia em que tudo deu errado para a gente… Neste dia íamos viajar para a África do Sul, mas foi esta a sequência de acontecimentos:

  1. Já que viajámos de Schipol, decidimos ir de trem de Eindhoven para Schipol – uma viagem direta e mega-conveniente, já que você desembarca literalmente no saguão do aeroporto. Chegamos na estação e todos os trens diretos estavam cancelados – alguém resolveu cavocar os trilhos exatamente neste dia… Por muita sorte perguntei qual era a melhor alternativa (ir até Rotterdam e pegar o Fyra, um trem rápido), pois a solução “oficial” incluía fazer um zigue-zague, com duas trocas de trem em estações super pequenas (daquelas que você nunca vê nenhum trem parando) e pelo menos 1 hora a mais de viagem
  2. Felizmente saimos cedo de casa então não tivemos que correr. Fizemos o check-in na boa dos dois voos, de Amsterdam para Londres, e  de Londres para Johannesburg. Na hora do embarque, porém…. Nada acontecia. Aparentemente o tempo em Heathrow estava horrível e todos os voos estavam sendo retidos. Depois de muito tempo embarcamos, mas já com risco de perder a conexão
  3. Chegamos em Heathrow. Demora para abrir a porta. Esperamos, esperamos, esperamos até o capitão dizer que encontraram um problema na escada que seria usada para o desembarque e tiveram que ir buscar outra. Esperamos mais um pouco. Cada vez mais perto a hora de saída do outro voo…
  4. Trouxeram a escada. O povo se acotovela para desembarcar. De repente, todo mundo pára. Com uma voz algo desconsolada (mas disfarçando bem, como seria de se esperar de um bom inglês), o capitão anuncia que só havia um ônibus disponível para nos levar até o terminal, então temos que esperar ele ir e voltar, o que leva uns 15 minutos de cada vez. O tempo passa….
  5. Finalmente chegamos no terminal… Nem precisamos correr muito para saber que não conseguiríamos pegar o outro voo… Nos indicaram onde verificaríamos nossas alternativas. A fila ainda estava pequena, mas simplesmente não andava. Ficamos horas ali até sermos atendidos. Já era mais de 23h e nossos estômagos estavam nas costas, pois só fizemos um almoço leve (já que nosso primeiro voo era às 19h)
  6. Enquanto esperávamos, descobrimos que o outro avião ainda estava no terminal! Alguns amigos da Fê também estavam no mesmo voo, que também estava atrasadão. A gente tentou e tentou convencer alguém de que dava para embarcar, mas a flexibilidade era zero. Descobrimos depois que nosso voo de Amsterdam estava previsto para chegar ainda mais tarde, depois do outro decolar. Talvez por isto tenham colocado outros passageiros nos nossos assentos, já que vários voos tiveram problemas este dia, mas não conseguimos uma resposta clara
  7. Como não havia nenhum outro voo até a noite seguinte, nos deram vouchers para um hotel. A gente passou pelo controle de fronteira na boa, mas encrencaram com as amigas da Fê, pois elas precisavam de visto para entrar na Inglaterra. Ficamos esperando um tempo até as coisas se resolverem, mas quando fui checar elas já tinham passado e a gente se desencontrou
  8. Saimos do terminal e é claro que o shuttle para o hotel já não estava mais operando. Esperamos mais um tempo por um táxi; quando finalmente conseguimos um o motorista pareceu um pouco relutante… Depois descobrimos que é porque tecnicamente o hotel não fica em Londres, mas numa cidade ao lado, o que faz com que tarifa seja quase 3x mais cara do que a de uma corrida normal em Londres
  9. Comemos um negócio (mais de meia-noite) e fomos dormir por volta das 2h30 da matina, para acordar à 8h e ligar para a central de reservas para remarcar o voo… O hotel era ótimo, mas a noite foi péssima
  10. Finalmente embarcamos, na mesma hora, um dia depois. Mas é claro que a coisa não acabou aí…. Novo atraso na decolagem… Espera, espera, espera e 1h30 depois finalmente decolamos
  11. Tudo isto matou o dia que teríamos para conhecer Johannesburg e descansar antes de viajar para o Kruger Park. Também perdemos um jantar que parece ter sido excelente, numa churrascaria super bacana em Johannesburg. Basicamente chegamos no aeroporto e entramos no carro, enfrentando uma loooonga viagem – chegamos na casa que alugamos por volta das 21h. Nada como chegar em algum lugar depois de 54h de viagem Smile

Se tiver uma conexão, lembre de incluir uma muda de roupa na bagagem de mão. Como a gente não fez isto, tivemos que dar uma lavadinha nas nossas roupas na pia mesmo (ainda bem que tinha um daqueles aquecedores de parede para pendurar as toalhas, senão elas talvez não secassem…) e sair caçando um mercado para comprar desodorante e creme dental. Imagine-se nesta situação e não esqueça a muda de roupa, especialmente se a conexão for na Inglaterra, onde o tempo é sempre camarada Smile with tongue out

Anúncios

Tags:,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: