Sal, sais, flor de sal e muito mais

Definitivamente não sou uma entendida em gastronomia. Cada dia que leio e me atrevo na cozinha, percebo o quão ignorante ainda sou (ainda bem, né?! Isso quer dizer que tem muito mais a ser descoberto por aí).

Em nossa curta estada em Ljubljana, a capital da Eslovênia, fizemos um pequeno tour pelo simpático e pequeno centro da cidade. Após o jantar a Dunjia, amiga do nosso amigo Goran, foi a cicerone. Conforme ela contava um pouco da história e curiosidades sobre a cidade o Goran a “desmentia” contando o lado satirizado de tudo. Nos divertimos a beça nessa noite.

Para meu encanto e desespero, Dunja nos explica empolgadíssima sobre uma loja de sal que paramos em frente, a Soline. Encanto porque a loja é linda e simples e desespero porque era tarde da noite e a loja estava fechada. Nosso outro amigo, o Orestis, permaneceria mais uma noite na cidade e logo que pedi, com toda a gentileza grega que lhe é peculiar, ele se comprometeu em comprar um pacote de sal.

O sal viajou de Ljiubljana para Leuven para São Paulo para Eindhoven e nessa semana finalmente abrimos um dos pacotes. Mas só depois do Dú dizer: “E aí, não vai abrir essa mão, não?” É, eu tenho que admitir que eu sou assim, um pouco mão de vaca. 🙂

Perceberam o detalhe: pacotes? Sim, ganhei dois pacotes. 🙂 Esse que abrimos é o tão aclamado por muitos gourmets Flor de Sal e o outro é um sal menos refinado, mais grosso. A explicação para o que vem a ser Flor de Sal no Wikipedia, e que está alinhada com outras fontes que andei lendo por aí, é a seguinte:

A flor de sal ou coalho é constituída pelos cristais de sal que se formam à superfície da água, durante a produção de sal marinho em salinas. Estes cristais, se não fossem colhidos, acabariam por se depositar no fundo, produzindo então o sal marinho vulgar. A flor do sal é colhida diariamente, cuidadosamente e com um instrumento apropriado, evitando tocar o fundo.

A flor do sal é um ingrediente comum na moderna alta gastronomia, utilizada mundialmente por apreciadores e chefes de cozinha, devido ao seu sabor especial e sua maior riqueza em oligoelementos e micronutrientes.

Alguns podem achar frescura ou até exagero, mas o danado é gostoso e faz sim diferença especialmente quando degustado frio, como em saladas ou simplesmente no pão com um bom azeite. É uma loucura. 😛

Vale dar uma espiadinha do site deles, clique aqui. Ainda ganhamos de brinde um chocolate com flor de sal, o qual ainda não comemos, mas dessa vez a culpa não é minha. O formiga na nossa relação é o Dú e ele é que está muquiranando. 🙂 Quando degustarmos, sim, nesse caso, é degustação, contamos aqui.

E a frase logo no cabeçalho do site é uma coisa: Salt is the sea, which could not go back to the sky. Amei. 😀

Anúncios

Tags:

About Fernanda Relvas

Esposa, filha, irmã, tia, amiga, psicóloga, amante de tudo o que provoca questionamento, que promova o desenvolvimento e o crescimento. Curiosa, emburrada, crítica, teimosa, mas boa amiga e companheira!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: