Archive | março 2010

Negócio da China – parte 1

Depois de 7 meses de aula, chegou o momento de irmos para a China. Mas como este é um dos cursos do meu MBA, infelizmente não vamos ter muito tempo livre para explorar as cidades à vontade ou relaxarmos. Só para variar um pouco, nossa agenda é bem apertada 😉 – como foi preparada por um dos mais exigentes professores em termos de conteúdo discutido, não tenho dúvida de que será uma viagem intensa.

Mas sem dúvida também vamos nos divertir muito e voltar com muitas histórias para contar.

A viagem de ida já foi uma epopéia. A escola queria que todos fossem em um único voo, provavelmente para facilitar a logística e evitar atrasos. Assim, tivemos que sair de Leuven e ir para Paris, pois é de lá que os voos da China Eastern saem. O detalhe é que fomos de ônibus, saindo de Leuven às 06h40 da matina. Como se não fosse suficiente, exatamente nesta madrugada entrou em vigência o horário de verão; ou seja, na prática saímos às 05h40 da manhã – vocês não conseguem imaginar como eu estava animado. Por volta das 11h30 chegamos no aeroporto, tempo mais do que suficiente para fazer o check-in para o nosso voo. Aí provamos que noventa pessoas fazendo a mesma coisa ao mesmo tempo é suficiente para engargalar qualquer coisa – uma escada rolante, a fila do check-in, um corredor mais estreito, a casa de câmbio, os ATMs, é só escolher.

É claro que em uma companhia chamada China Eastern só teria chineses viajando e alguns estavam trocando dinheiro entre si enquanto passávamos (não deixa de ser uma cena meio estranha…). Nos acomodamos em lugares próximos e todo mundo estava bem tranqüilo (na realidade estávamos com fome, pois nosso voo saiu às 13h40). Depois do almoço um povo começou a levantar para bater papo com outras pessoas, uma pequena aglomeração perto do banheiro se formou, ajudada pelo espaço que havia em frente à saída de emergência, e todo mundo estava conversando. Um dos meus colegas americanos disse que o pessoal que havia ficado em outra seção mais à frente queria ir para trás porque estava acontecendo uma festa. Algum tempo depois bateu um cansaço e o pessoal sossegou – aí foi a hora de aproveitar que todas as poltronas tinham uma tomada e enquanto alguns assistiam um filme (outro colega tinha uma verdadeira cinemateca no notebook) outros começaram a trabalhar em algum dos vários projetos que ainda temos que concluir (boa parte deste post foi escrita no avião – ajuda pra caramba a matar o tempo, mas não é exatamente confortável se a pessoa na sua frente baixa muito o encosto da poltrona).Umas duas horas depois o bate-papo e as reuniões voltaram, desta vez com mais gente envolvida, inclusive o diretor do MBA e com direito a vinho e cookies. A dinâmica continuou: alguns momentos de silêncio, outros de muita bagunça. Os filmes passados no avião também foram engraçados: começou com um filme indiano, depois foi para um filme chinês sobre a corrupção que existia em Hong Kong nas décadas de 60 e 70 (antes da cidade voltar a ficar sob domínio chinês) e acabou com um filminho americano que misturava desenho e atores reais num conto de fadas (sem comentários…).

Chegando em Shanghai tivemos que pegar outro avião para ir para Beijing, a primeira etapa da nossa viagem. Menos mal que este trecho era curtinho, um pouco mais de uma hora de voo. E o que seria uma ótima notícia acabou não sendo tão boa: nosso voo chegou mais cedo, mas a companhia não tinha informado isto para o pessoal que está cuidando da organização e tivemos que ficar esperando um bom tempo no aeroporto…

Tempo total da viagem, da saída de casa até a porta do hotel: 24 horas. Depois que finalmente chegamos ao hotel tivemos um par de horas para tomar um banho, almoçar e “descansar”; depois já tivemos algumas sessões informativas e um jantar oficial. Ninguém disse que seria moleza ;).

Depois de 33 horas acordado finalmente deitei em um cama – ótima, por sinal – para dormir 🙂

Último detalhe: antes da viagem alguns colegas chineses prepararam um pequeno manual e uma apresentação sobre a China (a Fê ajudou minha amiga formatando o conteúdo como um booklet que ficou bem bacana). Também nos ensinaram algumas palavras e frases básicas, e uma das mais importantes é Tai Gui Le – Tá muito caro! 😉

Meu forno, meu querido forno…

Que saudades do meu forno… Na verdade eu tinha doiiiiiiiis… Mas com um só eu já me contentava… 😦

É, aqui eu não tenho forno. Só tenho duas bocas de fogão e um microondas. Sinto a maior falta dos meus brinquedinhos culinários…

Para tentar amenizar, comecei a caçar receitas de microondas. Tenho que dizer que nunca fui adepta a cozinhar no bichinho, só usava para aquecer! Mas, quem não tem cão, caça com gato.

Fiz minha primeira receita no microondas e ficou…. bem gostoso! Tenho que admitir. Mas não igual ao bom e velho forno convencional, é verdade. 😉

A receita original é da Lu Francesa. Uma torta rápida de cebola… Fiz pequenas adaptações.

Ingredientes:

  • 4 cebolas grandes
  • 2 colheres de manteiga
  • 60g de farinha
  • 300 ml de leite desnatado
  • 2 ovos
  • noz-moscada
  • uns 80g de queijo (parmesão e emmental)
  • sal e pimenta

Depois de uma choradeira básica… heheh… Dourei as cebolas em pétalas na manteiga com uma pitadinha de sal.

Quando douradas, pouvilhei a farinha, misturei bem e acrescentei o leite, mexendo sempre, até ferver. Muito cuidado nessa hora para não formar aquelas pelotas horríveis de farinha.

Tirei a panela do fogo e acrescentei os ovos (já batidos), a noz-moscada, os queijos, o sal e a pimenta. Misturando bem a cada ingrediente adicionado.

Transferi a massa para uma forma redonda de 20cm de silicone, polvilhei com queijo parmesão ralado grosso e levei ao microondas em potência máxima (o meu só vai até 750W) por quase 30 minutos.

Mas não deixe os 30 minutos direto. Deixei 10 minutos, depois mais 10, mais 5 e mais uns 3… Fui monitorando para não deixar queimar as bordas. Cada microondas tem uma potência diferente, então é melhor não bobear. 😉

Lá na China

O Dú foi para China. É, é verdade! Ele foi hoje bem cedinho para a China com toda a turma do MBA. Um dos módulos estava programado para acontecer lá. E… Chegou a hora!

São só duas semanas. Eu sei, eu sei. Não é muito tempo, mas a vida longe da pessoa amada não é saborosa! Digo isso no sentido literal da palavra.

Acabo de preparar uma bruschetta e não senti a mesma satisfação (nem no preparo, tão pouco ao consumí-la) de quando estamos juntos!

O passo-a-passo foi o seguinte: deixei duas fatias de pão integral darem uma tostadinha na frigideira. Depois de virá-las, as reguei com um fio de azeite e distribui pedaços de queijo camembert sobre as fatias. Deixe mais um pouco no calor para amolecer o queijo. E finalizei com pedaços de presunto crú e azeitona verde. Ficou gostoso, mas não me empolgou. Sem dúvida a culpa não foi dos ingredientes… Foi da cadeira vazia!

Mas o pior ainda está por vir… A cama vazia! 😦

Parlamento Europeu

Esta semana visitamos o Parlamento Europeu.

Nosso dia começou bem cedo. Fomos para a estação de trem e lá encontramos com parte do pessoal do MBA que também iria para a visita. A diversão já começou ali. Eles estavam brincando, uns com os outros, usando as expressões em chinês que aprenderam no dia anterior, como preparatório para a viagem à China.

Uma confusãozinha na troca de trens foi motivo para mais brincadeiras… 😉

A região onde o parlamento está é beeeem legal. O prédio é lindo, super moderno e desde a estação de trem podemos perceber a preocupação com infraestrutura e instalações funcionais e bonitas.

Depois de uma breve espera na frente do prédio, passamos por revista (como as de aeroporto), mas não apresentamos nossos ID’s na entrada :?. E enquanto aguardávamos no hall, fotos para cá e para lá. Valendo até se sentar na frente das bandeiras dos países membros da UE. 😆

Tivemos 1h30 de sessão com um funcionário do parlamento, que comentou sobre a organização da UE, estrutura, desafios, vantagens, relações etc.

Foi uma conversa muito agradável e bastante interessante, especialmente porque o rapaz no início parecia um mala, mas depois mostrou-se com um humor bastante sarcástico!

Logo depois visitamos a plenária, onde as reuniões acontecem… Impressionante.

E finalmente, aproveitando que estávamos em Bruxelas, fomos almoçar em um restaurante brasileiro… Mas essa saga conto em outro post. 😀

Update: Clique aqui para acessar o post sobre o restaurante brasileiro.

O sabor da simplicidade

Hum como as simples coisas da vida são boas…

  • Um beijo de bom dia!
  • Andar de mãos dadas!
  • Ficar ao lado de um amigo, um verdadeiro amigo!
  • Saber que você pode contar com ele!
  • Ligar para um amigo e ele dizer: “Não acredito! Estava pensando em você!”
  • Abrir um bom vinho, mesmo sem motivo especial para comemorar!

São tantas coisas…. Que apesar de simples, se deixarmos de prestar atenção nelas, a vida fica muito chata! E passamos a percorrer apenas as grandes conquistas, os grandes objetivos… Deixando de viver a verdadeira vida!

E embalada nessa simplicidade, jantamos um feijãozinho esperto, com arroz integral e um refogado de cebola, pimentão e cenoura ao vinho branco e molho teriyaki. Divino e simples! Nada programado, só usando as sobrinhas da geladeira! 😀

Feliz, feliz, feliz!

Semana passada fui chamada para uma entrevista. A posição e a empresa eram perfeitas, super alinhadas com meu perfil e minhas expectativas!

Fiquei mega ansiosa no dia anterior à entrevista. Putz! Uma entrevista inteira em inglês, era a primeira vez. E quem me conhece sabe que eu não sou (era) a pessoa mais confiante no que se refere a comunicação em inglês. 😕

Mas a entrevista foi surpreendente. Foi ótima! E realmente a posição e empresa tinham tudo a ver comigo. Saí da entrevista muito confiante, revigorada e recompensada! E isso tudo foi pelo simples fato de ter finalmente realizado que minhas fortalezas são muito mais importantes e interessantes que qualquer “falta” de conhecimento de idioma!

Por esse motivo o processo já tinha super valido! 😛

Hoje cedo recebi a ligação da pessoa que me entrevistou. Ela disse que infelizmente não vou continuar no processo, pelo fato de eu não falar Flamengo e Francês (mesmo sendo básico), mas que meu perfil, background e personalidade eram exatamente o que eles estavam procurando.

Aí sim é que fiquei contente. Fui mesmo capaz de me expressar com clareza e demonstrar meus pontos fortes! Eba!

E no final, de forma entusiasmada, ela afirmou que se manteria atenta para outras oportunidades alinhadas ao meu perfil! 😀

Essa era a peça que faltava para o meu quebra-cabeças da confiança… 😛

Na medida certa!

Eita danado!

Lembra quando contei no post Tiramisù Irlandês que eu errei nas proporções e que apesar de meio seco, com pouco creme,  o danado tinha ficado saboroso? Pois bem, fiz novamente a receita. Mas dessa vez respeitei as proporções dadas pela Nigella e… Batata, ou melhor, Tiramisù… E do bom!!! 😀

Alquimia se faz na cozinha

Hummm… Sabe aquele dia que você acorda inspirada para criar um novo prato? Pois bem, tinha em mente fazer um risoto com Camembert e salmão grelhado.

Fui ao mercado para comprar o vinho branco e me deparei com gergelim… hummm… levei!

Quando estava separando os ingredientes para o início da minha “alquimia”, me deparo com um pacote de castanhas do Pará esquecido no armário.

Como não podia deixar de ser, misturei tudo! E… Ficou di-vi-no!

Para o risoto, receita básica e no final o Camembert cortado em cubinhos, inclusive com a casca. Dá um charme especial!

Para o salmão, cortei o filé em cubos grandes. Ralei a castanha do Pará no ralador grosso, misturei ao gergelim com uma pitada de sal e pimenta branca. Empanei os cubos de salmão nessa mistura e grelhei no azeite….

De acompanhamento um belo vinho branco francês bem frutado! O que mais eu poderia querer? 😀

Uma tarde que valeu por muitas!

Ao sair da aula de inglês me encontrei com a Shereen e a Paz.

O dia estava lindo! Céu azul, Sol brilhando, 15 grau… uau! Fomos a um parques para uma “sessão” fotográfica com a Paz e a filhinha dela, a Camila.

Quase aproveitamos para fazer um pique-nique no próprio parque. O que tinha de gente sentada na grama comendo as famosas baguetes… 😉

Resolvemos ir para um restaurante bem despojado e muito agradável que fica em uma praça e com isso, quase todas as mesas ficam do lado de fora.

Ficamos lá por nada menos que 6 horas. Comemos um lanche, depois um chocolate quente, conversamos sobre tudo (política, gastronomia, religião, futilidades, futuro etc), acompanhamos a troca de clientes e até dos garçons… hehehe

Depois de alimentarmos a alma e o espírito, nos despedimos ainda com o céu claro em plena 19h00 da noite de um dia lindo!

Lindos, lindos dias!

Ontem e hoje foram dias particularmente muito, mas muito bonitos mesmo.

O céu estava lindo e tão azul… O Sol brilhava e aquecia… O vento gelado deu uma trégua…

Nem foi preciso sair com muita roupa.

As ruas estavam mais movimentas. Os bares com todas as mesas na calçada. Muita gente tomando Sol nos parques.

Uma cena que há muito não víamos.

E assim a natureza se renova… As flores bravamente resistem e brindam esse lindo dia!

Que dias lindos!!!