O terceiro (e último) dia em Amsterdam :-(

Mais um belo café da manhã e nessa manhã não chovia 😉

Caminhamos em direção à estação central (já tirando um monte de fotos), pois íamos fazer um tour de graça. Na verdade não tem um preço definido. Você faz o tour de aproximadamente três horas e no final você paga o quanto você quer, pode ou julga valer. A empresa é a New Europe Tours e opera em outras cidades na Europa. Valeu muito à pena.

Acabamos escolhendo o guia que falava espanhol, já que o grupo era bem menor que os outros grupos com guia que falava inglês. Ele é bem divertido, o que deixou o passeio ainda mais interessante. Conhecemos os principais pontos no centro e suas histórias. As três principais entradas da cidade, a casa com a maior fachada e a casa com a menor fachada (simplesmente 1,8m de fachada), mas ela é bem bonitinha. Conhecemos a rua dos “judeus”, o bairro da Luz Vermelha, por lá fotos são proibidas, já que as mulheres ficam literalmente expostas em vitrines, e dizem que guardam garrafas com seu xixi caso alguém tire uma foto delas… então muito cuidado. Só pode olhar! Passamos pelas igrejas, a nova e a velha, e ainda tem uma bem no centro do bairro da Luz Vermelha. Passamos em frente à um dos coffeeshops mais famosos da cidade, onde o Brad Pitt, George Clooney, Robbie Coltrane e Matt Damon gravaram Doze homens e Outro Segredo. O cheiro de maconha você já sente desde a esquina. Fomos à casa da Anne Frank e terminamos nossa caminhada na beira de um canal, onde construíram três grandes triângulos no chão em referência à Anne Frank, aos homossexuais e aos judeus, já que esses são os símbolos históricos que representam, ou que fomentaram, a tolerância e o senso de liberdade nessa cidade.

Essa era a fachada da oficina do pai de Anne Frank.

anne_frank

Porta de entrada para o Begijnhof e ao lado as nove casas que dão fundo à praça, mas apenas uma porta! O Begijnhof é uma “vila” onde mulheres, que não fizeram voto, moram apenas para orar. Tem um em Brugge e em Leuven, mas no de Amsterdam atualmente só moram senhoras viúvas ou solteiras. Existe uma fila enorme de espera e pagasse-se muito para poder morar lá. É um lugar que inspira tranqüilidade.

Ah! Mais uma curiosidade: reparem que as casas são inclinadas para frente. Elas não estão entortando, não. Elas foram construídas propositalmente assim, pois como as escalas internas são muito íngremes e estreitas, móveis grandes eram içados por fora e, em a fachada sendo inclinada, não corriam o risco de raspar os móveis na fachada conforme os subiam. Dá para imaginar?begijnhof1

A única casa de madeira que ainda existe em Amsterdam é essa que fica no Begijnhof. Ao lado o Dú no pátio interno.begijnhof2

Outras perspectivas do pátio interno do Begijnhof.

begijnhof3

As casas pagavam imposto de acordo com o tamanho da sua fachada. Essa era a casa de maior fachada (a mais escura, atrás da árvore ;-)).maior_fachada

E essa a casa de menor fachada (pintada de vermelho… apenas 1,8m de fachada. Dá para imaginar. E ele disse que nessa casa vivem um casal com uma filha, o cachorro e as três bicicletas… ahahahmenor_fachada

Depois tomamos uma cerveja no Café de Prins, um dos bares tradicionais segundo o guia, mas mais uma vez não tivemos sucesso com as cervejas holandesas… as melhores cervejas servidas nessa terra ainda são as belgas 😉

cafe_de_prins

Voltamos ao bairro da Luz Vermelha, pois eu queria tirar foto de uma obra de arte de autor desconhecido que fica no chão. Segundo a história ela foi encontrada um dia e a retiraram de lá, depois de algum tempo, julgaram que não havia problema e voltaram com a obra para a rua. 😉 O guia sempre repetia: “Aqui nessa cidade, tudo se aproveita.” 😉

red_lights

Outra curiosidade: os coffeeshops surgiram em uma época em que Amsterdam tinha mais que 20.000 viciados em heroína, o que os levou a pensar em uma forma de diferenciar as drogas leves das pesadas, resultando assim em uma tolerância maior às drogas leves. Mas as coisas têm mudado. De 600 coffeeshops, hoje existem apenas 200 e todo o cuidado é pouco atualmente. A polícia está muito mais atenta e restritiva. Qualquer apologia à “maconha” é proibida, por isso o nome de coffeeshop.

Visitar Amsterdam e não conhecer um coffeeshop me parece quase impossível, então convenci o Dú! Voltamos ao Dampkring e… entramos! Às 12h00, quando passamos por lá com o guia vimos um senhor de cabelos e barba compridos e grisalhos e ao voltar, às 16h30 aproximadamente, ele permanecia por lá! 😉

Entramos e nos sentamos no balcão. Demos uma olhada no cardápio, queríamos só beber uma cerveja e iríamos embora, mas aí só vimos café, suco e refrigerante. Olhamos ao redor e todos bebiam café, suco e refrigerante. Olhamos no fundo e tinha outro balcão com várias gavetinhas com “ervas”. Perguntamos para a atendente se não tinha cerveja e a resposta foi: “Só é permitida a venda de uma droga por porta. Aqui não vendemos álcool.” Ah! Por isso o nome coffeeshop! heheheh

dampkring

Pedimos cada um um capuccino e logo depois chegaram os colegas do Dú, o indiano e o esloveno. Não sei se eles se surpreenderam mais em nos ver lá, ou se eles se sentiram surpreendidos por nós os vermos lá… hahaha

O ambiente é bem legal, descontraído, cada um fica na sua e ninguém invade o espaço de ninguém, mas realmente o cheiro, ou a “marola”, é bem forte. Quando acabamos nossos capuccinos fomos embora para evitar qualquer “reação” e para deixar os meninos à vontade, vai saber. eheheh. Valeu a experiência!

anoitecendoFotos durante o anoitecer, enquanto voltávamos para o Hotel.

À noite fomos jantar em um restaurante indonésio (achamos a referência no blog Amsterdamned, blog de uma australiana que vive em Amsterdam. Definitivamente essa é a melhor forma de planejar as viagens: pesquisar em blogs!) e os dois colegas do Dú foram conosco. Um restaurante agradabilíssimo, ótimo atendimento, a comida é divinal, definitivamente o melhor restaurante que comemos em Amsterdam. Recomendamos de olhos fechados. O restaurante é Kantjil & de Tijger. Comemos um Rames, um prato que vem com pequenas porções de diversos pratos típicos. Maravilhoso!

rames

Depois fomos conhecer um bar, que não está no roteiro turístico, mas descobrimos a dica em outro blog. O Ducs Amsterdam é um blog de um brasileiro que vive com sua esposa em Amsterdam, também tem várias dicas, sobre o que fazer, onde comer e onde beber boas cervejas holandesas… fomos conferir.

O bar é o t’Arendsnest. Um ambiente delicioso, pequeno e cheio de coisas nas paredes, bem poluído e super legal. O cardápio é enorme só com cervejas holandesas. São mais de 30 cervejas na pressão e mais de 100 cervejas na garrafa. É uma infinidade. Experimentamos duas diferentes, uma foi a La Trappe, única trapista holandesa, as outras 6 são belgas, e a outra foi uma Stout (como a Guinnes), muito boas as duas, mas quem vai comentar sobre elas de verdade é o Dú ;-).

t'Arendsnest1

Definitivamente devíamos ter conhecido essa bar na primeira noite, assim teríamos mais tempo para experimentar mais variedade de cervejas ;-). Fica para a próxima visita à Amsterdam.

no_tramNós no Tram voltando para o Hotel.

É isso aí pessoal. Esses foram os nosso três dias em Amsterdam. Deliciosos por sinal. Uma viagem que recomendo e, havendo a oportunidade, repetiremos!

Amanhã voltamos à Leuven!

Anúncios

Tags:, , , , , , , , , ,

About Fernanda Relvas

Esposa, filha, irmã, tia, amiga, psicóloga, amante de tudo o que provoca questionamento, que promova o desenvolvimento e o crescimento. Curiosa, emburrada, crítica, teimosa, mas boa amiga e companheira!

4 responses to “O terceiro (e último) dia em Amsterdam :-(”

  1. Daniduc says :

    Oi Fernanda!

    Aqui é o Dandiuc do Ducs em Amsterdam.

    Bem, primeiro, brigado pelo link pro Ducs 🙂 Fico feliz que tenha contribuído um pouco pra salvar a cara das cervejas holandesas, hehe. Realmente, a concorrência com as belgas é difícil, mas os holandeses realmente fazem ótimas cervejas. Que “chato” pra nós, sabe, que temos de ficar experimentando as duas pra decidir qual é melhr, hehe.

    Falar nisso, nós fomos ao mosteiro da La Trappe, foi uma visita bem legal. Tem as fotos aqui: http://www.flickr.com/photos/ducs_amsterdam/sets/72157622486863642/

    Mas enfim, que legal sua viagem, vocês apreoveitaram super bem, fico muito feliz de vcs term conseguido fazer tanta coisa. Bem legal mesmo!

    E as fotos estão ótimas!

    Beijos!

  2. Angela says :

    I am glad you liked my recommendation! 🙂

Trackbacks / Pingbacks

  1. O que e onde comemos em Paris « Cacau com Lúpulo - maio 6, 2010
  2. Os números de 2010 « Cacau com Lúpulo - janeiro 17, 2011

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: